FIM TRÁGICO: Corpo de um dos jovens desaparecidos em Simões Filho é encontrado

Autor: Redação

Publicada em



Ao longo de cinco dias, familiares e amigos do vendedor Joelson Estanislau dos Santos Junior, 22 anos, conhecido como Junior, mantiveram a esperança de encontrá-lo vivo. No entanto, a espera terminou de forma trágica na noite desta segunda-feira (12/2). O corpo dele foi reconhecido pelos próprios familiares ao se dirigirem ao Instituto Médico Legal Nina Rodrigues, em Salvador.

A notícia chocou os familiares de Junior e aumentou o drama vivido pela família do mototaxista Pedro Henrique Luz Nunes, 20 anos, que continua desparecido. A esperança de encontrá-lo com vida, foi minada, após a notícia da morte do amigo.

Junior e Pedro estavam desaparecidos, desde o último dia 8, quando saíram de moto em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

Desde o registro do desaparecimento que uma verdadeira força-tarefa foi montada pelas famílias para tentar localizar os rapazes ainda com vida, mas isso não foi possível. Na noite desta segunda-feira, receberam informações avisando que vários corpos teriam sidos encontrados pela Departamento de Polícia Técnica, e teriam sido encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML).

Imediatamente, as famílias dos jovens foram a sede do órgão no Vale dos Barris. Lá um dos corpos foi reconhecido como de Junior. Já a família de Pedro informou que nenhum dos cadáveres era do mototaxista.

O corpo de Junior foi encontrado por moradores na região da Ceasa, em Salvador, que acionaram a Polícia Civil. O vendedor apresentava sinais de tortura, e diversas perfurações provenientes de arma de fogo.

“Tem sinais de violência gravíssima. Eu tinha esperança de encontrá-lo com vida, mas, infelizmente não foi como a gente quis”, lamenta a tia, a vendedora Maria Marli, 42 anos, que cuida do jovem desde criança. Ela e outros familiares estão no IML fazendo todo procedimento para a liberação do corpo. O sepultamento do vendedor está programado para a tarde desta terça-feira, às 15 horas.

A irmã de Junior, Camila Silva, agradeceu a todos que ajudaram a procurar o jovem. “Infelizmente, diante de tanta dor e sofrimento venho informar que Júnior faleceu, pois estou recebendo muitas mensagem e não tenho condições de responder. Deus abençoe a todos que ajudaram, e fizeram orações”, agradeceu.

Agora, com a família reconhecendo o corpo de Junior, o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil passou a investigar o desaparecimento dos amigos, e também, o crime de homicídio por meio de inquérito policial. Inicialmente as investigações ocorrem em sigilo. O crime permanece rodeado de mistérios e questões ainda não respondidas pela Polícia.

JUNIOR

Joelson, que é conhecido como Junior, era morador do bairro KM 30 e trabalhava na Ceasa como vendedor ajudando a tia. A mãe biológica dele, Maria Edna, 47 anos, mora em São Paulo, mas desde que o jovem sumiu desembarcou em Simões Filho para ajudar nas buscas.

O DESAPARECIMENTO

Na última quinta-feira (8/2), o mototaxista Pedro chegou em casa por volta das 18h30, tomou um banho, vestiu uma roupa, passou na casa de seu amigo, o Junior, e os dois saíram juntos, mas desde então não fizeram mais contato. As famílias tentaram ligar por diversas vezes no celular dos rapazes, mas os aparelhos pararam de emitir sinal, e as chamadas não eram completadas.

SAIBA TUDO SOBRE O CASO