SIMÕES FILHO: Irmãos de motorista assassinado falam sobre crime; “Foi muita crueldade” – veja relatos

Autor: Redação

Publicada em


Motorista era conhecido como Nanai. Foto: Simões Filho Online

“Falei com ele um dia antes dele sumir, ele estava muito triste e cabisbaixo”, disse um colega de trabalho de Anailton.

O que era para ser mais um dia comum de trabalho, se tornou um pesadelo para a família do motorista de ligeirinho, Anailton Nunes Barbosa, 29 anos, que também era motorista do aplicativo Uber. Ele morreu depois de ter sido sequestrado, em Simões Filho, na tarde do último domingo (7/1).

Na quarta (10/1), o corpo foi encontrado no Hospital Geral do Estado (HGE), com várias perfurações provenientes de arma de fogo e arma branca — faca — além de pedradas. A família informou que só conseguiu localizar o corpo de Anailton devido o roteiro que o rapaz fazia.

“Se não fosse Deus, não conseguiria chegar onde estava meu irmão. Em nenhum momento imaginávamos que isso poderia acontecer em nossa família”, lamentou o irmão de Anailton, Márcio Nunes Barbosa, 31.

Anailton Nunes Barbosa, 29 anos, Foto: Arquivo pessoal

No domingo, era por volta da 15h, quando Anailton, o Nanai, recebeu uma ligação para realizar uma viagem, que seria a última de sua vida. Familiares apontam que o motorista de ligeirinho foi sequestrado entre os bairros Simões Filho 1 e Góes Calmon, levado por homens, ainda não identificados, para uma localidade na cidade de Terra Nova, município localizado a 84 km de Salvador. Neste local, o motorista foi torturado e sofreu ferimentos provocados pedradas, golpes de faca e disparos de arma de fogo. “Foi uma crueldade muito grande”.

Ainda no domingo, Anailton chegou a ser socorrido ao Hospital Geral do Estado (HGE), em estado bastante critico. Ele recebeu atendimento médico, mas morreu por volta das 20h, duas horas depois de dar entrada na unidade de saúde.

Enquanto isso, sem saber que o motorista estava no HGE, parentes e amigos do rapaz iniciaram por conta própria uma busca. Na manhã da última terça-feira (09/01), por meio do sinal de GPS, familiares chegaram até o veículo de Anailton, que estava totalmente queimado dentro de uma mata em Góes Calmon. Já o corpo dele, só foi encontrado na manhã da quarta-feira.

“A delegacia de Terra Nova, nos informou que havia uma pessoa que tinha recebido socorro, na noite do domingo, e teria sido encaminhada para o HGE”, conta Márcio.

Márcio Nunes Barbosa, 31., irmão de Anailton. Foto: Jerffeson Brandão/Simões Filho Online

Márcio conta ainda o quanto está sendo difícil a dor da perda do irmão, que completaria 30 anos no dia 29 de janeiro. “Agente está suportando, porque Deus está no controle e, se ele permitiu que isso acontecesse, isso nos conforta, a nossa fé nos alimenta. Confesso que é muito difícil e doloroso esse momento, mas acredito que Deus fará justiça. Está sendo difícil, mas vamos superar. O sentimento é de muita tristeza“, declarou o irmão.

“O maior sonho de Anailton era ver o filho de um ano crescer”, revela Márcio.

A Gerente Ana Cleta Barbosa, 43 anos, ainda busca explicações para a morte do irmão e pede justiça. “Ele ainda foi encontrado com vida, horas depois ele veio a óbito no HGE. Estamos conformados, pois pelos menos fizemos um enterro digno para nosso irmão. Se não fosse por Deus, e por ele está nos guiando a todo tempo, pois quem encontrou o corpo e resolveu tudo fomos nós”, disse a irmã.

“Só quero que a justiça seja feita. Agora é com as autoridades”, complementou Ana Creta, 41.

Ana Cleta Barbosa, 43, irmã de Anailton. Foto: Jerffeson Brandão/Simões Filho Online

Anailton atuava no transporte ligeirinho há seis meses fazendo o roteiro Mercado Municipal x Simões Filho 1. O Ligeirinho é um serviço realizado por carros particulares que fazem o transporte coletivo de passageiros, dentro do município. Atualmente, mais de 100 veículos prestam o serviço na cidade.

O motorista morava com a irmã na Rua Guine, bairro Cia 2, em Simões Filho, deixa a companheira moradora do município de Castro Alves, com quem o rapaz mantinha um relacionamento e tinha um filho de um ano de idade.

Na manhã desta quinta-feira (11/01), familiares e amigos prestarem suas últimas homenagens a “Nanai”. O sepultamento aconteceu no Cemitério Municipal São Miguel de Cotegipe.

O caso é investigado pela 22ª Delegacia (Simões Filho). Até o momento não há informações sobre a motivação e autoria do crime.