TOQUE DE RECOLHER? “Quem manda em Simões Filho é a PM. Vamos recolher todos esses marginais para a prisão”, diz Major

Comandante da 22ª CIPM se pronunciou sobre ameaças feitas por meio de áudio.

Autor: Simões Filho Online

Publicada em



O Comandante da 22ª Companhia Independente de Polícia Militar se pronunciou sobre as ameaças feitas por meio das redes sociais na manhã desta sexta-feira (11/8), incluindo um suposto “toque de recolher” envolvendo as comunidades de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

O oficial admitiu que em parte o comercio fechou as portas, mas garantiu que não há o que temer e que a polícia está nas ruas. “Quem manda aqui é a 22 CIPM. E quem dá toque de recolher é a PM, pois vamos recolher todos esses marginais para a prisão”, disse o Major Fabio Dias.

O toque de recolher seria por causa da morte do líder de uma facção criminosa, Marcelo Batista dos Santos, o ‘Marreno’, na noite da última quarta-feira (9/8). Ele e seu comparsa, Anselmo Nascimento Sena, morreram após troca de tiros com policias na Via Parafuso. Áudios do “toque de recolher” foram divulgados por meio do aplicativo de celular WhatsApp.

Reforço

A SSP informou que 600 policiais que estavam de folga foram chamados para reforçar a segurança nas regiões dominadas pela facção. “Estamos com todas as nossas tropas especializadas aptas a atender a população a qualquer hora do dia ou da noite, o tempo que for necessário, para dizer a população que a polícia está presente e a Secretaria de Segurança Pública está presente”, afirmou o secretário Maurício Barbosa, titular da pasta.

“Estamos reforçando o policiamento também na Região Metropolitana exatamente para mostrar que o estado está presente”, completou o secretário.