As linhas do medo: assalto vira rotina em ônibus de Simões Filho; “Em 20 dias, fui assaltada duas vezes”

Virou rotina para os passageiros assaltos e arrastões dentro de ônibus.

Autor: Redação

Publicada em


Foto: Simões Filho Online
Bandidos agem, quase todos os dias, nas mesmas linhas, em trechos capital baiana | Foto: Simões Filho Online

A população do Simões Filho vem sofrendo nos últimos anos com a crescente onda de assaltos e arrastões dentro de ônibus que circulam na capital baiana. Não bastasse os roubos cometidos pelos bandidos, em algumas ocasiões os criminosos vão mais além com agressões às vítimas, que muitas vezes saem feridas.

Eles agem sempre da mesma forma. Vão ao ponto de ônibus, principalmente, entre 18 e 22 horas. Escolhem entre linhas da Expresso Metropolitano. Pagam a passagem, seguem viagem e anunciam o assalto. Além de intimidar os passageiros com armas de fogo, os ladrões também amedrontaram as vítimas com gritos e empurrões. Após concluir a ação, eles conseguem fugir levando dinheiro, telefones celulares, computadores portáteis e jóias. É desesperador, e aquela já conhecida sensação de impotência se estende no coletivo a quem observa e começa a prever uma desgraça. “Ele vai atirar, a gente vai morrer, vão levar tudo”.

Em 20 dias, a Promotora de Vendas, Antônia Silva, de 27 anos, por exemplo, sofreu dois assaltos dentro do coletivo durante o retorno para sua casa em Simões Filho. “Em menos de um mês passei por dois assaltos na linha Simões Filho -Itaigara/Orla. É desesperador, até quando vamos ter que passar por isso?”, questiona.

Ela conta que os bandidos fazem rodizio de horários, mas mantém as ações sempre na mesma localidade – entre São Cristóvão e o Bosque das Bromélias, bairros de Salvador. “O primeiro assalto foi as 19 horas na segunda semana de dezembro. Um homem com revólver e uma mulher com uma faca fizeram a limpa no ônibus. Daí eu consegui mudar meu horário de trabalho para 1 hora mais cedo, contudo, não adiantou, fui assaltada novamente no dia 2 de janeiro no meu primeiro dia de trabalho do ano. Por volta das 18 horas, um cara muito violento entrou no coletivo e ainda implicou com um outro passageiro que estava no ônibus, querendo matá-lo pensando que o mesmo era policial, mas graças a Deus não aconteceu nada ao rapaz. O criminoso roubou todo mundo e desceu nesse mesmo lugar, Bosque das Bromélias. Isso se transformou em uma coisa normal, estamos correndo risco de vida – esses horários nos ônibus é complicado, que Deus nos guarde”

Assaltos a ônibus: como sair ileso?

Motoristas, cobradores e especialistas em segurança pública falaram sobre a rotina no transporte coletivo e deram algumas dicas para se safar dos bandidos na ocorrência de assalto dentro do ônibus.

Segundo os especialistas, sentar na frente pode ajudar a se livrar dos bandidos. Primeiro por que a maioria dos assaltos acontecem após a catraca e o cobrador, já que o campo de visão das câmeras se limita a esse espaço, e também por que na frente costumam sentar os idosos, que não andam frequentemente com objetos que os bandidos estão sempre a procura, como celulares, computadores, tablets entre outros itens que são fáceis de vender depois.

Embora dormir no ônibus possa ser perigoso, cobradores revelaram que os assaltantes costumam não incomodar quem está dormindo, para evitar que acordem assustados e façam escândalo, atrapalhando a investida dos bandidos. As luzes do ônibus acesas também ajudam a evitar os assaltos, já que com pouca iluminação, quem está do lado de fora tem dificuldade de ver o que acontece dentro do ônibus, facilitando a vida do assaltante.

Em todo caso, se o bandido se aproximar da vítima num assalto, a melhor coisa a se fazer é tentar manter a calma e entregar o que ele está pedindo. Lembre-se que sua vida é muito mais importante do que um bem que você pode adquirir novamente depois.