Bahia faz 2 a 0 no Cerro pela Sul-Americana

Autor: Redação

Publicada em


Foto: Felipe Oliveira – EC Bahia

O Bahia fez bem seu dever de casa na estreia da segunda fase da Copa Sul-Americana, na noite desta quarta-feira (25). Ainda que com alguns titulares poupados, o Tricolor fez valer a força de sua torcida em Pituaçu e a qualidade de seu elenco para bater o Cerro (URU) por 2 a 0, no jogo de ida do mata-mata.

Com o resultado o Esquadrão leva uma boa vantagem para a partida de volta, no Uruguai, marcada para o dia 8 de agosto, podendo até perder por um gol de diferença para ficar com a vaga. Um 2 a 0 contra leva a disputa para os pênaltis. Com os gols fora de casa como critério de desempate, uma derrota por 3 a 1 classifica o Bahia.

O time agora volta seu foco para a disputa do Campeonato Brasileiro. Na segunda-feira (30), o Tricolor recebe o Atlético-MG, na Fonte Nova, às 20h.

Em campo, o Bahia teve dificuldades de impor seu jogo na etapa inicial, com a equipe uruguaia marcando forte e sendo até desleal em alguns momentos. O Tricolor tentava girar a bola com velocidade e atacar pelas laterais, mas não criou grandes oportunidades. A melhor delas foi uma falta sofrida por Zé Rafael, na meia-lua, que Régis tentou o ângulo e acertou a barreira.

No segundo tempo, o técnico Enderson Moreira alterou a equipe taticamente, com o lateral-esquerdo Léo atuando mais avançado. A mudança surtiu efeito e o time passou a pressionar. Aos 7 minutos, após uma sequência de escanteios, Régis cobrou da direita com muito efeito e a bola veio com perfeição na cabeça de Gilberto, que escorou para o gol praticamente vazio. Foi o 3o gol e três partidas do centroavante pelo Bahia.

A torcida se animou na arquibancada e o time respondeu em campo, mantendo a pressão sobre o Cerro. Depois de criar duas boas chances de ampliar, com Zé Rafael e Elber, Marco Antônio da reserva para dar novo fôlego ao lado direito, onde os ataques seguiram como a grande arma da equipe no jogo.

O 2o gol saiu aos 28, de pênalti, em cobrança de Régis, em lance originado por Marco Antônio, no qual um defensor uruguaio impediu com a mão a passagem de um cruzamento. O Bahia poderia ter ampliado o marcador aos 33, em novo pênalti, sofrido por Zé Rafael. Ele mesmo cobrou a infração, mas mandou por cima do travessão. Um dos melhores em campo, ainda assim foi aplaudido pelos quase 12 mil presentes em Pituaçu após a jogada.

Sólido na defesa, o Bahia tentou ainda alguns contra-ataques até o fim, mas o placar terminou mesmo em 2 a 0.

O Bahia atuou com: Anderson; Flávio, Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo (Mena); Edson, Nilton, Zé Rafael, Régis (Vinícius) e Elber (Marco Antônio); Gilberto.