Bancos para aposentados do INSS fazer Cartão de Crédito mesmo com nome sujo

Autor: Redação

Publicada em


Bancos para aposentados do INSS fazer Cartão de Crédito mesmo com nome sujo
Bancos para aposentados do INSS fazer Cartão de Crédito mesmo com nome sujo

Bancos para aposentados do INSS fazer Cartão de Crédito mesmo com nome sujo. Veja a lista de bancos confiáveis.

Golpes em aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), fez com que a FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos e a ABBC- Associação Brasileira de Bancos, criassem um novo sistema com a lista dos bancos confiáveis para fazer Cartão de Crédito e até tomar empréstimos.

O novo sistema está valendo desde o dia 2 de janeiro. O Sistema de Autorregulação de Operações de Empréstimo Pessoal e Cartão de Crédito com Pagamento Mediante Consignação reúne 31 instituições confiáveis que representam cerca de 98% do volume da carteira de crédito para os segurados do INSS em todo o país.

É possível aposentados e pensionistas fazerem Cartão de Crédito mesmo com nome sujo no SPC/Serasa

Antes de mais nada, recomendamos que você entre em contato com os seus credores e tente renegociar as dívidas. Ter o nome limpo é fundamental na retomada de crédito. Ninguém gosta de ficar sem receber. Os bancos pensam da mesma forma, e com isso utilizam várias ferramentas para evitar que isso aconteça. Sendo assim, muitas pessoas com nome sujo têm problemas na hora de conseguir um crédito. Mas aposentados e pensionistas são privilegiados, pois a maioria dos bancos não consultam SPC ou Serasa. Ou seja, aposentados e pensionistas têm Cartão de Crédito Consignado mesmo com o nome sujo.

Geralmente, os bancos seguem a determinação da Previdência Social, e não há cobrança de anuidade e não é permitido solicitar cartões adicionais para dependentes. O limite de compras é de até três vezes o valor do benefício e o pagamento máximo mensal não deve passar de 10% da renda líquida do aposentado.

Cartão de crédito consignado mesmo com nome sujo

Para quem é pensionista/aposentado do INSS, o cartão de crédito consignado pode ser uma excelente opção. Com ele, você pode se livrar da fatura no final do mês, e ter o valor descontado diretamente do seu salário ou benefício.

Veja mais: 

Veja a lista dos bancos confiáveis para fazer cartão e obter crédito:

  1. Banco do Brasil
  2. Caixa
  3. Agibank
  4. Banco Alfa
  5. Financeira Alfa S.A.
  6. Banco BMG
  7. Banco Cetelem
  8. Banco Daycoval
  9. Banco Digio
  10. Banco do Nordeste
  11. Banco Estrela Mineira
  12. Banco Inter
  13. Banco Mercantil
  14. Mercantil Financeira
  15. Bancoob
  16. Banco Pan
  17. Banrisul
  18. Barigui
  19. Bradesco
  20. Bradesco Financiamentos
  21. BRB – Banco de Brasília
  22. BV Financeira
  23. CCB Brasil
  24. Facta Financeira
  25. Itaú Unibanco
  26. Itaú Consignado S.A.
  27. Paraná Banco
  28. Safra
  29. Santander
  30. Olé Bonsucesso
  31. Sicred.

Bancos estão sendo monitorados

Além do sistema de bloqueio para ligações indesejadas, a Autorregulação do Crédito Consignado prevê a criação de uma base de dados para o monitoramento de reclamações motivadas pela oferta inadequada do produto, que reunirá queixas vindas dos canais internos das instituições financeiras, do Banco Central e da plataforma consumidor.gov. O indicador levará em conta o número de reclamações em relação ao volume da carteira de empréstimos.

Também serão consideradas as ações judiciais decorrentes da atuação dos correspondentes das instituições financeiras, e uma consultoria independente fará um mapeamento que levará em conta questões de governança e gestão de dados. Os itens, reunidos, irão gerar um indicador de qualidade do correspondente.

Segundo Oliva, o monitoramento começa agora em fevereiro, as informações serão consolidadas pela FEBRABAN e ABBC, e os dados estarão disponíveis ao público a partir de fevereiro. “Teremos um termômetro de qualidade da atuação do correspondente, e com base no indicador de reclamações, os bancos irão adotar medidas administrativas, que vão desde advertência, suspensão, até o fim do relacionamento com o correspondente”, diz.

De acordo com o executivo, os bancos que não aplicarem medidas contra o correspondente que praticar alguma infração poderão ser multados por conduta omissiva, e os valores das penalidades variam de R$ 45 mil até R$ 1 milhão. Os valores arrecadados serão destinados a projetos de educação financeira.