Bebê recém-nascido sequestrado é devolvido à mãe após ligação anônima

.

Autor: Redação

Publicada em


O bebê recém-nascido de 17 dias que havia sido sequestrado na última sexta-feira (12/04), no bairro de São Cristóvão, em Salvador, foi devolvido aos braços da mãe depois de uma ligação anônima, na manhã deste domingo (14/04). A devolução aconteceu na porta da Igreja Universal do Reino de Deus, na região do Iguatemi.

De acordo com a família, uma mulher ainda não identificada fez uma ligação anônima para Ana Paula Dórea Ferreria, de 18 anos [mãe da criança], afirmando que devolveria a bebê para ela, com a condição de que não tivesse participação da polícia.

Diante da proposta, a mãe da criança marcou um encontro às 6h, na frente do Shopping da Bahia. Ao chegar no local do encontro entre 6h e 6h30, ela recebeu uma segunda ligação, pedindo para que ela atravessasse a pista, e fosse até a porta da Igreja Universal. Ana Paula assim fez e seguiu até o local combinado, e tinha um carro branco parado a sua espera. Uma mulher desceu rápido do veículo, entregou o bebê a mãe, entrou no carro, e fugiu rapidamente do local.

Por meio de nota, a Polícia Civil disse que a Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca) investiga o aparecimento do bebê.

Entenda o caso

O rapto aconteceu na última sexta-feira (12/04) quando a mãe do bebê, identificada como Ana Paula Dórea Ferreria, de 18 anos, conduzia a criança para ser registrada em um Fórum da cidade.

A vítima, Ana Paula, contou que caminhava tranquilamente com a filha no braços nas imediações do Atacadão Atakarejo e do Hotel Hangar – ligação entre as avenidas São Cristóvão e Paralela – quando foi surpreendida por uma mulher armada. Ela teve seu rosto coberto e foi obrigada a entrar em um veículo. Mesmo com as vendas nos olhos, Ana Paula percebeu a presença de dois homens dentro do carro. Sob ameaças de morte, o trio teria circulado por alguns minutos com a mãe e o bebê pela região. Em dado momento, Ana Paula foi obrigada a entregar a filha, de inicias M.E., aos criminosos. O trio fugiu e a bebê não foi mais vista.

Desesperada, a mãe procurou a Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes contra a Criança e Adolescente (Dercca), onde registrou a ocorrência.

SAIBA MAIS INFORMAÇÕES>>>