Beleza negra ganha destaque no 2º Encontro DiPretas em Simões Filho

A beleza negra vai ganhar espaço notório com a presença de várias mulheres que irão se reunir, em Simões Filho, para o “2º Encontro DiPretas”.

Autor: Simões Filho Online / Foto: Mapele News

Publicada em


Fotos: Montagem Simões Filho Online

Vários eventos especiais marcam esta sexta-feira (20) no Brasil. A data celebra o Dia Nacional da Consciência Negra. Em Simões Filho, cidade da Região Metropolitana de Salvador (RMS), não é diferente. A beleza negra vai ganhar espaço notório com a presença de várias mulheres que irão se reunir, para o “2º Encontro DiPretas”. O evento acontecerá neste domingo (22), a partir das 13h, na Praça da Bandeira.

O encontro é uma Realização  do movimento DiPretas e tem como idealizadoras, Lyla Matos e Lucineri Nascimento Viana, alem da colaboração de Nayale Santos e Lucineuza Ferreira.

O evento visa estimular a valorização e identidade negra, reivindicando o seu espaço, em especial, a aceitação do uso do cabelo crespo e cacheado em sua forma natural. Veja outras notícias de Simões Filho.

Dia Nacional de Zumbi e Consciência Negra

O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, foi instituído oficialmente pela lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do Quilombo dos Palmares – situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco, na região Nordeste do Brasil. Zumbi foi morto em 1695, na referida data, por bandeirantes liderados por Domingos Jorge Velho.

Com a redemocratização do Brasil e a promulgação da Constituição de 1988, vários segmentos da sociedade, inclusive os movimentos sociais, como o Movimento Negro, obtiveram maior espaço no âmbito das discussões e decisões políticas. A lei de preconceito de raça ou cor (nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989) e leis como a de cotas raciais, no âmbito da educação superior, e, especificamente na área da educação básica, a lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que instituiu a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-brasileira, são exemplos de legislações que preveem certa reparação aos danos sofridos pela população negra na história do Brasil.

A figura de Zumbi dos Palmares é especialmente reivindicada pelo movimento negro como símbolo de todas essas conquistas, tanto que a lei que instituiu o dia da Consciência Negra foi também fruto dessa reivindicação. O nome de Zumbi, inclusive, é sugerido nas Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africanacomo personalidade a ser abordada nas aulas de ensino básico como exemplo da luta dos negros no Brasil.

Essa sugestão orienta-se por uma das determinações da lei Nº 10.639, que diz no Art. 26-A, parágrafo 1º: “O conteúdo programático a que se refere o caput deste artigo incluirá o estudo da História da África e dos Africanos, a cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, resgatando a contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política pertinentes à História do Brasil.”