Bolsonaro ataca pai da ex-presidente do Chile, morto após sofrer torturas

Autor: Do Aratu On

Publicada em


O presidente Jair Bolsonaro (PSL) se envolveu em mais uma polêmica nas redes sociais nesta quarta-feira (4/9). Dessa vez, ele falou sobre o pai da ex-presidente do Chile, Michelle Bachelet.

Tudo começou quando, durante uma entrevista coletiva em Genebra, Michelle comentou o cenário político no Brasil. “Nos últimos meses, observamos (no Brasil) uma redução do espaço cívico e democrático, caracterizado por ataques contra defensores dos direitos humanos, restrições impostas ao trabalho da sociedade civil”, disse.

Em uma postagem em rede social, Bolsonaro rebateu. “Michelle Bachelet, Comissária dos Direitos Humanos da ONU, seguindo a linha do Macron em se intrometer nos assuntos internos e na soberania brasileira, investe contra o Brasil na agenda de direitos humanos [de bandidos], atacando nossos valorosos policiais civis e militares”.

O presidente ainda comentou sobre a morte do pai dela, preso e torturado pelo regime de Augusto Pinnochet, morrendo sob custódia aos 50 anos. “Diz ainda que o Brasil perde espaço democrático, mas se esquece que seu país só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973, entre esses comunistas o seu pai brigadeiro à época”, escreveu.

Alberto Bachelet, pai de Michelle, era general da Força Aérea e se opôs ao golpe dado por Pinochet em setembro de 1973. O termo ‘Bachelet’ já figura entre as tendências no twitter, devido ao aumento de postagens sobre esse assunto.