Cacau Show abre 5.400 vagas temporárias

Autor: JC Concursos

Publicada em


Com intuito de reforçar o quadro de funcionários durante as festas de fim de ano, consideradas a alta temporada no comércio, a rede e fabricante de chocolates Cacau Show abre mais de 5.400 vagas temporárias em diversos cargos. As posições estão distribuídas entre as 2.050 lojas da marca.

Requisitos

Os interessados precisam ter 18 anos ou mais e ensino médio completo. São variadas funções disponíveis e o processo seletivo já está em andamento. Somente para a indústria, foram abertas 416 oportunidades e entre os meses de agosto e setembro, 335 colaboradores foram contratados. Em novembro, mais 81 novos funcionários iniciarão as atividades na fábrica.

As exigência para cada cargo não forma informados, mas vale destacar que para as oportunidades destinadas ao atendimento, candidatos com boa comunicação, facilidade de trabalhar em equipe e bom relacionamentos com clientes são geralmente valorizados durante o processo de seleção.

De acordo com informações de assessoria de imprensa, todos os aprovados serão contratados no regime celetista, com os benefícios da categoria garantidos. Além disso, os funcionários que se destacarem em suas funções, poderão se tornar parte do quadro efetivo, tanto da fábrica quanto das respectivas lojas.

Inscrições

Quem quiser concorrer a uma das vagas oferecidas devem entregar o currículo atualizado nas lojas da Cacau Show, cujos endereços podem ser obtidos no site www.cacaushow.com.br, acessando a aba “Lojas”. Para facilitar a localização, o portal dispõe de uma ferramenta em que o candidato pode digitar seu CEP no campo “Buscar” e encontrar a unidade mais próxima de sua residência.

VEJA OUTRAS VAGAS ABERTAS

Crescimento

O número de vagas temporárias com a chegada do Natal tende a ampliar ainda mais. Segundo a recente pesquisa divulgada pela agência de empregos Luandre, a oferta de trabalho com prazo determinado cresceu 38% nos meses de julho, agosto e setembro, em relação ao mesmo período de 2015. O segmento com maior destaque foi a indústria com 119% de crescimento, seguido pela área comercial, com 40%, e o setor da saúde, com elevação de 24%.

“Acreditamos que o volume da oferta cresceu no último trimestre comparado ao ano anterior por dois principais motivos: primeiro porque com o desenrolar da situação política houve maior confiança dos empresários. E dois, ao acreditar em uma possível evolução da economia, os empresários optam pela temporário que vai auxiliá-lo no período de demanda, mas não trará ônus de contratação”, afirmou Fernando Sanroman Baeta Medina, diretor de operações da Luandre.

Em um cenário em que 12 milhões de brasileiros estão desempregados (taxa de 11,8% de desemprego no último trimestre segundo a Pnad), o trabalho temporário aparece como alternativa também para a população que busca recolocação. “Nosso histórico mostra que a efetivação após período de trabalho temporário chega a 40%, ou seja, além de resolver uma questão de curto prazo, pode ser uma solução profissional para o candidato”, disse Medina.

Direitos

Se você optou por uma vaga temporária, que sempre oferece ao trabalhador uma alternativa para geração de renda, saiba que é preciso ficar atento às leis para um contrato correto. De acordo com o Ministério do Trabalho, o emprego temporário é permitido em apenas duas situações comprovadas. O colaborador só pode ser contratado pela necessidade transitória de substituição de empregados ou acréscimo extraordinário de serviço, como ocorre nos meses que antecedem o Natal, Dia das Mães e Páscoa, por exemplo.

De acordo com a legislação, são garantidos aos temporários os direitos de remuneração equivalente ao empregado da mesma categoria da empresa ou não havendo, o salário mínimo; limite diário e semanal de jornada; hora extra; repouso semanal remunerado; adicional noturno; seguro contra acidente; recolhimento de INSS e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); registro de temporário na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e indenização na rescisão antecipada, dentre outros.

Além disso, vale ressaltar que o contrato apenas pode ser firmado pelo prazo de três meses, salvo com autorização prévia do Ministério do Trabalho, pelo prazo máximo nove meses, quando houver justificativa plausível para os casos de substituição de empregados.

Currículo atrativo

Muitos candidatos são vetados para uma vaga de emprego, estágio ou trainee muito antes de chegar na entrevista com o recrutador. Um dos motivos mais comuns para essa desclassificação prematura é um currículo pouco atrativo. Pensando nisso, selecionamos algumas dicas para ajudá-lo a ter um currículo vencedor.

Um resumo conciso de suas qualificações e experiências pessoais, abaixo das suas informações de contato, oferece aos empregadores uma visualização rápida e resumida de suas principais habilidades e ambições de trabalho. Geralmente, é o primeiro lugar que o recrutador olha quando pega um currículo na mão, portanto, detalhe suas realizações e qualificações de maneira objetiva.

Outra dica é corresponder a descrição da oportunidade, tentando utilizar adjetivos que sejam semelhantes aos utilizados no anúncio da vaga. Por exemplo, se o empregador dá prioridade para alguém com “capacidade de liderança eficaz”, certifique-se de demonstrar isso na primeira parte de seu currículo, utilizando o espaço destinado ao resumo profissional e características pessoais.

Além disso, não adianta enfatizar seus triunfos profissionais no currículo se você não terá como comprová-los posteriormente. Ao listar suas realizações, a recomendação é ter em mente que o que realmente impressiona os empregadores são os números. Exemplificando, se o candidato puder ilustrar suas conquistas com fatos e números, ou seja, descrever o quanto de receita que trouxe para o negócio naquele ano ou como clientes aumentaram seu investimento na marca, faça com objetividade.

Evite erros no português

Muitos candidatos perdem boas oportunidades de inserção no mercado por conta do uso inadequado da língua portuguesa. Com as empresas adotando ferramentas como testes ortográficos e redações para funcionar como filtros, o número de trabalhadores e estudantes que não passam sequer na primeira etapa é cada vez maior.

A facilidade da tecnologia contribui para o problema, explica Erick Sperduti, coordenador de recrutamento e seleção do Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube). “Com o fácil acesso à tecnologia e condições de correções automáticas de texto, pesquisar informações resumidas sem a necessidade de fazer uma busca integral sobre determinado assunto, dificultam o enriquecimento do vocabulário e a organização linguística”, diz.

Outro motivo que acaba influenciando na vida profissional dos candidatos é o costume de abreviar o português nas redes sociais. Ou seja, nem todos conseguem se adequar às mudanças exigidas quando o ambiente sai do universo dos perfis virtuais. “Alguns se condicionam muito com esse tipo de ‘escrita encurtada’ e acabam por cometer erros, tanto na elaboração de algum texto, quanto no envio de um simples e-mail profissional”, comenta Erick.

Se por um lado a tecnologia pode deixar as pessoas mal acostumadas, por outro, possibilita novas opções aos leitores, mesmo que de maneira virtual. Sperduti afirma que “a Era Digital também possui seus benefícios e permite o fácil acesso às obras e clássicos da literatura, inclusive por meio de smartphones. O grande problema está na mentalidade do brasileiro em não praticar o hábito da leitura”.

Dicas para entrevista

O desafio de superar os demais concorrentes durante uma entrevista de emprego fica cada vez mais acirrado. Quem está fora do mercado de trabalho por um longo período tende a sentir ainda mais esse peso, já que é comum afetar a autoestima e a confiança desses profissionais.

Normalmente, a insegurança diante dos questionamentos de um recrutador é grande, especialmente na hora de explicar os motivos de estar tanto tempo fora do mercado. Ter uma postura otimista e transparência a respeito das dificuldades de recolocação pode ajudar a conquistar o novo posto, mas também é fundamental deixar claro que os meses parados não foram desperdiçados. Ao contrário, o tempo foi usado para se reciclar, fazer cursos, aprender e voltar ao trabalho ainda mais preparado do que antes. É essencial que o candidato não deixe o desânimo, o medo e a insegurança predominar, pois pode afetar seu desempenho durante a entrevista ou dinâmica de grupo.

O trabalhador deve ser transparente e franco com relação ao momento vivido, mas, ao mesmo tempo, mostrar-se confiante e seguro de que está pronto para dar o melhor de si na nova oportunidade.

A instabilidade econômica do país faz com que muitas empresas cortem custos e, com isso, bons profissionais perdem seus postos. É importante analisar o campo de atuação em que busca uma vaga para observar as possibilidades. Lembre-se: cada setor/área tem uma característica, com maior ou menor velocidade de recolocação, mesmo nos tempos de crise.