Caso de fisioterapeuta que levou quase 70 facadas tem audiência marcada

Autor: Aratu Online

Publicada em


Do Aratu Online, parceiro do Simões Filho Online

A audiência do caso da fisioterapeuta Isabela Oliveira Conde, de 36 anos, que levou 68 facadas numa tentativa de feminicídio e teve que se fingir de morta para sobreviver está marcada para o próximo 27 de junho, às 10h30, no Fórum Criminal de Salvador. A decisão da juíza Gelzi Maria Almeida Souza foi publicada nesta segunda-feira (6/5).

De acordo com o advogado da vítima, Levy Moscovits, essa é a audiência em que serão produzidas as principais provas “com o objetivo de formar o convencimento da juíza para remeter o caso ao júri popular”. Na ocasião, serão ouvidos a fisioterapeuta, as testemunhas e os réus, com a participação do Ministério Público (MP-BA), do assistente de acusação e dos advogados de defesa.

“Estamos cobrando celeridade da Justiça. Esse é o papel da assistência de acusação. E o judiciário, sensível a causa, designou em prazo hábil a audiência de instrução”, afirma Moscovits.

CRIME

O caso ocorreu em 28 de fevereiro deste ano e teve repercussão nacional. Moscovits conta que o ex-namorado da vítima, Fábio Barbosa Vieira e outros dois rapazes, Alex Pereira dos Santos e Adriano Santos de Jesus, foram buscar a fisioterapeuta no trabalho. Dentro do veículo, os dois amigos que estavam no banco de trás desferiram as 68 facadas, a pedido do ex-namorado.

Após ser abandonada na BR, Isabela ainda tentou pedir ajuda e foi levada para um hospital. O ex-namorado ainda foi até o local como se nada tivesse acontecido e foi preso no local. “Na audiência, ela será ouvida pela juíza e contará, com detalhes, os momentos de horror que viveu. Assim como todos nós a Isabela espera justiça”, acrescenta Moscovits.

PRISÕES

Alex, de 26 anos, foi o último envolvido no crime a ser preso pela polícia, no dia 14 de março. Ele foi capturado por investigadores da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), de Periperi. Adriano, por sua vez, foi preso um dia antes do comparsa, no bairro de Brotas. A prisão temporária da dupla foi solicitada pela titular da especializada, delegada Simone Moutinho, após serem identificados como os homens contratados por Fábio para atacar sua ex-namorada.