Chá de inhame para engravidar realmente funciona?

Inhame e fertilidade: veja se realmente funciona tomar chá de inhame para engravidar e quais são as evidências científicas por trás disso.

A fertilidade sempre foi um mistério, e até hoje muitas mulheres são incapazes de obter respostas definitivas dos seus médicos a respeito do motivo pelo qual elas experimentam dificuldade para engravidar.

De alguma forma, algumas parecem engravidar quando nem querem, enquanto outras se tornam infelizes devido aos seus anseios e anos de tentativas frustradas.

Atualmente, algumas pessoas acreditam que tomar pequenas doses de chá de inhame para engravidar funciona para aumentar a fertilidade. A dosagem seria de cerca de 10 a 20 gotas diárias a partir do primeiro dia de menstruação até o meio do mês (ovulação). Veremos a seguir se isso tem fundamento ou não.

Índice deste artigo:

Propriedades do inhame para engravidar

O nome botânico para Inhame é Dioscorea villosa, e é a raiz desta planta que é a porção usada para fins medicinais. O inhame selvagem contém uma substância chamada diosgenina, e este produto químico pode ser convertido em laboratório em vários esteroides, como estrogênio e dehidroepiandrosterona (DHEA).

A raiz e o bulbo desta planta são usado como uma fonte de diosgenina, que é preparada como um “extrato” de diosgenina concentrada.

Existem mais de 600 espécies de inhame, algumas são cultivadas especificamente como fonte de diosgenina em laboratórios para uso na fabricação de esteroides. Estas espécies geralmente não são consumidas devido ao seu sabor amargo e apenas cerca de 12 a 600 espécies são consideradas comestíveis.

A diosgenina presente no inhame é frequentemente promovida como uma “alternativa natural” da terapia de estrogênio, e por isso é muitas vezes usada como terapia de reposição de estrogênio, secura vaginal em mulheres mais velhas, TPM (síndrome pré-menstrual), cólicas menstruais, osteoporose (ossos fracos), aumento dos seios, desejo e energia sexual em homens e mulheres.

O inhame selvagem parecer ter alguma atividade semelhante ao estrogênio, mas na verdade ele não é convertido em estrogênio no corpo – isso acontece apenas nos laboratórios.

Inhame e fertilidade

Acredita-se que os fitoestrogênios e as propriedades semelhantes à progesterona presente nos inhames podem ajudar a regular o equilíbrio estrogênio-progesterona, ajudando a regular os ciclos menstruais nas mulheres, algo crucial para quem está tentando engravidar.

Em teoria, a progesterona natural do inhame pode ajudar a prolongar a fase lútea em mulheres cujo corpo lúteo não produz progesterona suficiente, causando a menstruação precoce.

Ainda assim, não há evidências científicas de que o inhame selvagem aumenta o nível de estrogênio no corpo e os médicos da Universidade de Maryland afirmaram que o corpo humano não tem as enzimas para converter o inhame selvagem em progesterona. Fonte|:Mundo Boa Forma

Veja mais