Cinco adolescentes assaltam ônibus de Simões Filho e justificam: “queria um celular bom”

Eles informaram que estão matriculados na escola, mas não frequentam as aulas.

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


Quadrilha de adolescentes assaltantes de ônibus é desarticulada | Foto: Alberto Maraux

Quatro garotos de 14 anos e uma garota de 15 foram flagrados roubando o coletivo da empresa Expresso Metropolitano, que fazia a linha Terminal da França x Simões Filho, que trafegava retornando para a cidade. Os cinco adolescentes foram apresentados nesta quarta-feira (7/6). A quadrilha é apontada pela polícia como responsável por dezenas de assaltos a coletivos. Um jovem de 18 anos que também fazia parte do grupo também foi capturado.

Adolescentes prestaram depoimento na Delegacia do Adolescente Infrator (DAI) | Foto: Alberto Maraux

O coletivo que tinha como destino Simões Filho, passava pela avenida suburbana quando os adolescentes dera a voz de assalto. Eles saquearam diversos pertences dos passageiros. Após a ação, eles foram surpreendidos por policiais da Operação Gemeos, unidade da Polícia Militar responsável pelo combate aos roubos de ônibus. O comandante da Operação Gemeos, major Gabriel Neto, explicou que ações de inteligência e acompanhamento da quadrilha vinham sendo realizadas e as equipes esperaram o melhor momento para detê-los, sem oferecer riscos aos passageiros.

Na Delegacia do Adolescente Infrator (DAI), eles informaram que estão matriculados na escola, mas não frequentam as aulas, que já usaram drogas e, só ontem, roubaram três coletivos. Um deles falou que queria um celular bom e que não tinha dinheiro para comprar.

Com menores, que reside no Alto do Cabrito, foi apreendida uma pistola de brinquedo, muito semelhante ao armamento de verdade, além da recuperação de sete celulares, dois relógios e duas carteiras. Os donos, após depoimento e registro do crime, receberam os seus pertences.

VEJA MAIS NOTÍCIAS DE SIMÕES FILHO

“Estamos vendo com frequência a presença de menores, cada vez mais jovens, praticando crimes. A família precisa acompanhar o que esses adolescentes fazem diariamente, com quem andam e perguntar a procedência dos objetos novos que eles levam pra casa”, afirmou a titular da DAI, delegada Claudenice Mayo.

Foto: Alberto Maraux