Como conferir se o seu CPF foi utilizado para pedir o Auxílio Emergencial indevidamente

.

Autor: Redação

Publicada em


Como conferir se o seu CPF foi utilizado para pedir o Auxílio Emergencial indevidamente
Como conferir se o seu CPF foi utilizado para pedir o Auxílio Emergencial indevidamente

Como conferir se o seu CPF foi utilizado para pedir o Auxílio Emergencial indevidamente.

Algumas pessoas vêm tendo a inscrição no auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal negada com a mensagem de que o CPF já teria sido utilizado anteriormente. Nesta quinta-feira, uma reportagem mostrou que foram identificados pagamentos irregulares a estudantes universitários, servidores, além de militares das Forças Armadas.

>Auxílio Emergencial: Famílias de classe média e esposas de empresários estão na lista de fraudadores

Segundo o Ministério da Cidadania, é possível saber se qualquer requerimento foi feito e os dados utilizados. Saiba como:

Como saber se seu CPF foi usado no Auxílio Emergencial

  1. No computador ou celular, acesse o site consultaauxilio.dataprev.gov.br;
  2. Informe seu CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento;
  3. Marque a opção “não sou um robô”;
  4. Clique/Toque em “Enviar”;
  5. Na próxima tela, você verá o “Resultado do processamento” e as etapas.

>Novo calendário de pagamento do Bolsa Família 2020 com Auxílio Emergencial

Você pode verificar a data de início do processamento que está em seu nome e até o dia em que o resultado dessa análise foi enviado para a Caixa. Além das etapas seguintes.

Há seis possibilidades de resultados entre os resultados:

BENEFÍCIO APROVADO: Significa que o cidadão é elegível a receber o Auxílio Emergencial. A data de envio para a Caixa não representa a data efetiva do pagamento do benefício. O calendário de pagamento dos beneficiários deverá ser consultado diretamente no site da Caixa (https://auxilio.caixa.gov.br)

>Caixa alerta para golpes envolvendo Auxílio Emergencial

BENEFÍCIO NÃO APROVADO: Significa que o cidadão não é elegível a receber o Auxílio Emergencial. Na mesma TELA 3, o cidadão poderá verificar que critério não foi atendido, motivo que causou a sua inelegibilidade ao benefício. Quando o benefício não é aprovado, o cidadão poderá realizar um novo requerimento junto à Caixa e corrigir ou contestar o resultado. Nesse caso, o sistema apresentará na mesma consulta o resultado de ambas as análises.

EM PROCESSAMENTO: Significa que o cidadão está tendo, ainda, os dados checados para analisar a sua elegibilidade ao Auxílio Emergencial. Neste caso, são mostradas as datas do requerimento e início da análise, sem previsão de quando será concluída.

>CPF do filho de Bonner é usado para pedir Auxílio Emergencial e pergunta ao Governo; “quantos?”

REQUERIMENTO NÃO ENCONTRADO: Caso o requerimento do cidadão ainda não tenha sido recebido pela. Nessa situação, é necessário que o cidadão aguarde a chegada das remessas da Caixa. Caso ainda não tenha realizado sua inscrição, o requente deverá acessar o site da Caixa e fazer o seu requerimento.

REQUERIMENTO RETIDO: A mensagem significa que o cadastro foi retido pela equipe de homologação do Ministério da Cidadania em função da complexidade de cenários e cruzamentos. Com isso, será realizado novo
reprocessamento das informações pela Dataprev.

DADOS INCONCLUSIVOS: Caso o sistema identifique problemas nos dados do cidadão que impeçam a análise para concessão do benefício, o sistema apresentará a TELA 7, orientando que se realize um novo requerimento no site da Caixa para complementar ou confirmar seus dados cadastrais ou de sua família.

Após fraudes, Dataprev alerta que é crime

Após técnicos do governo identificarem que jovens de classe média e servidores receberam indevidamente o auxílio emergencial de R$ 600, a Dataprev admitiu que o trabalho de cruzamento de dados para verificar quem tem direito ao benefício precisa ser aprimorado.

A Dataprev alerta que as pessoas que omitirem dados no cadastro para requerer o benefício, no sistema da Caixa Econômica Federal, podem incorrer em crime e ser enquadradas no Código Penal brasileiro. Pela lei que criou o auxílio, somente são elegíveis trabalhadores com renda familiar total de até três salários mínimos (R$ 3.135).