Confira todo o esquema capaz de controlar dois milhões de foliões por dia

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


As forças de segurança estaduais deram por mais um ano a prova de que talvez seja a única polícia no mundo capaz de controlar dois milhões de foliões por dia nos três circuitos do Carnaval de Salvador – Dodô, Osmar e Batatinha -, além das festas em bairros e em cidades de grande porte do interior da Bahia.
O esquema de segurança pública para o Carnaval deste ano registrou diminuições de 16,7% nas tentativas de homicídios (cinco em 2016 e seis em 2015), de 6,9% nas lesões corporais (176 registros neste ano contra 189 em 2015) e de 3,5% nos roubos numa comparação com a festa de 2015 (110 casos em 2016, contra 114 no ano anterior). Os dados são relativos ao período das 19h de quinta-feira (4) às 7h desta quarta (10).
Os homicídios ficaram sem variação, sendo dois registros em 2016 e a mesma quantidade no ano passado. No Carnaval encerrado na manhã desta quarta-feira (10) foram computados dois casos envolvendo catadores de lata. As duas vítimas tinham passagens pela polícia e, em menos de 24 horas, a polícia identificou e prendeu os autores. O número de furtos teve aumento de 9%.
A produtividade policial é outro índice que traduz o êxito do trabalho das forças de segurança do estado no Carnaval. Nos seis dias de festa foram conduzidas 3.309 pessoas (aumento de 44,7%), entre elas, algumas por uso ou tráfico de drogas. No total, foram autuados em flagrante 110 criminosos, alguns com mandados de prisão expedidos pela Justiça.
A presença de cerca de 26 mil policiais e o uso da tecnologia, além da utilização de 48 portais de abordagem, garantiram mais segurança para baianos e turistas que aproveitaram a nossa festa. O Governo do Estado investiu mais de R$ 42 milhões para garantir tranquilidade aos foliões.

Portais de segurança

Com a inovação dos portais de segurança, cerca de 20 mil pessoas foram abordadas por hora, número expressivo para a quantidade destas estruturas instaladas e de pessoas que participaram da festa. Nos portais, a PM apreendeu duas armas de fogo, 64 armas brancas (ocorrências que configuram intenção de cometimento de crime) e 354 objetos recolhidos com potencial de arma branca. Também foram conduzidas 42 pessoas às delegacias, sendo 13 presas em flagrante. Os policiais apreenderam ainda cinco adolescentes e registraram 24 crimes de menor potencial ofensivo, além de 55 ocorrências com drogas.
Outra novidade foi a Operação Ronda Maria da Penha que atuou pela primeira vez no Carnaval de Salvador em parceria com a Secretaria de Política para as Mulheres do Estado (SPM) com atenção especial às ocorrências de violência contra a mulher. Ao todo, a Ronda atendeu 39 ocorrências e prendeu duas pessoas em flagrante que foram conduzidas para a delegacia. Neste período, a Ronda realizou ainda 98 visitas e 93 palestras.

Folia e Paz

A Operação Folia e Paz intensificou o policiamento no entorno dos grandes circuitos, estações de transbordo e principais corredores de tráfego, oferecendo mais segurança ao folião na ida para a festa e na volta para casa. Desde o início do Carnaval foram abordadas 32.198 pessoas e 3.735 veículos (carros e motos), 778 taxis, 826 coletivos e 1.234 pontos de ônibus, resultando na condução de 45 pessoas às delegacias, 11 flagrantes lavrados e cinco adolescentes apreendidos. Ao todo, 1.249 policiais atuaram com o apoio de 346 viaturas.
Para oferecer mais segurança ao visitante, a Polícia Militar disponibilizou um serviço 24 horas de acompanhamento de turistas. Ao todo, 941 acompanhamentos foram realizados do aeroporto aos hotéis instalados nos circuitos e aos que ficam situados no litoral norte, resultando no acompanhamento de 697 grupos nacionais e 244 grupos estrangeiros.

Documentos perdidos

A Polícia Militar recuperou 2.300 documentos perdidos nos três circuitos do Carnaval 2016 (Batatinha, Dodô e Osmar). Os documentos poderão ser resgatados na próxima segunda-feira (15), no posto de atendimento do SAC do Shopping Barra, das 8 às 18h. A consulta deverá ser feita por meio do site www.pm.ba.gov.br, no link documentos perdidos, para confirmar se o documento está entre os catalogados. O serviço de entrega terá validade de 30 dias e, após este período, serão encaminhados aos órgãos expedidores.

Ação interna para policiais militares

Com o objetivo de relaxar a tropa antes de assumir o serviço, a Polícia Militar realizou ginástica laboral preparatória para o serviço para 1.215 PMs nos Postos de Reunião de Tropa (PRT), localizados na Barra e São Raimundo (Vale dos Barris). Nos PRTs, 109 policiais receberam os serviços de massoterapia e 188 verificaram a pressão arterial. Destes, dez foram encaminhados ao posto de saúde por apresentar pressão arterial elevada.

Atuação dos Bombeiros

No Carnaval deste ano, o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA) atuou com 2.234 profissionais na capital e em diversos municípios do interior do estado, mas as ações tiveram início antes mesmo da festa, quando foram realizadas 241vistorias em trios elétricos, carros de apoio e camarotes nos circuitos, com a finalidade de prevenir eventuais acidentes. Durante a festa, o Corpo de Bombeiros Militar atendeu cerca de 1.600 ocorrências, entre embriaguez, desmaios, ferimentos, mal súbitos, vítimas de espancamento, afogamentos, entre outros atendimentos.

Enfrentamento à violência contra a mulher e ao racismo

Com o objetivo de sensibilizar e conscientizar os foliões sobre a violência contra as mulheres, a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) realizou a campanha ‘Vá na moral ou vai se dar mal’ durante o Carnaval deste ano. Foram produzidos e distribuídos 400 mil unidades de materiais informativos, bilíngues, para conscientização dos foliões e turistas que passaram Carnaval em Salvador, Ilhéus (sul), Vitória da Conquista (sudoeste) e Porto Seguro (extremo sul).
Durante a festa, 11 blocos, sete camarotes e diversos cantores baianos a exemplo de Denny, Margareth Menezes, Mari Antunes, Léo Santana e Magary Lord, aderiram à campanha. Um dos destaques deste ano foi a adesão da campanha pelos blocos predominantemente masculinos, como Muquiranas e Filhos de Gandhy.

Atendimentos por arma de fogo têm redução de 80%

De quinta-feira (4) às 8h desta quarta (10), o sistema de ocorrências da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) apontou que, em relação ao ano passado, caiu em 80% o número de atendimentos por arma de fogo nas unidades de plantão. Neste mesmo período, foram atendidas 155 pessoas oriundas do circuito do Carnaval.
Agressão física (90) marcou a maioria das ocorrências, seguida por queda (20), agressão com arma branca (17), oito (8) por complicação de doença pré-existente, seis (6) por atropelo, (3) por arma de fogo, (4) por intoxicação exógena, (2) por ferimento acidental, (3) por colisão e (2) por exposição ao fogo. A maioria das ocorrências foi verificada no circuito Dodô (Barra – Ondina), em seguida no circuito Osmar (Campo Grande).

Profissionais notificados

Por determinação do governador Rui Costa, a equipe da Corregedoria da Sesab visitou as unidades de saúde em regime de plantão por conta do Carnaval, buscando cumprimento das escalas dos servidores. Foram notificados 101 profissionais até às 8h desta quarta-feira (10).

Testes rápidos

Da sexta-feira (5) até à meia noite de terça-feira (9), os três postos para a realização de Testes Rápidos para a detecção de HIV, sífilis e hepatites virais realizaram 2034 verificações, sendo que 153 deram positivo para Sífilis, 22 para HIV e 5 para hepatites.

Serviços para o turista

O receptivo do projeto Guias e Monitores contou com 244 profissionais habilitados para dar informações turísticas em até oito idiomas. A ação, que atendeu 153 mil pessoas, incluiu hotéis e pontos estratégicos dos três circuitos, além dos portões de acesso à cidade – aeroporto, porto e rodoviária. Porto Seguro e Praia do Forte também entraram no projeto. A rede wi-fi do Pelourinho, que ofereceu internet móvel gratuita pela primeira vez no Carnaval do Pelô, permitiu a navegação de 20 mil usuários. A Secretaria de Turismo do Estado (Setur) também quis ouvir o visitante sobre a festa, e realizou pesquisa de satisfação com 1,2 mil turistas.

Festa gratuita para o folião

A Bahiatursa garantiu 87 saídas de trio sem cordas. Com o apoio da iniciativa privada, promoveu uma folia democrática em Salvador e outras 15 cidades. Nomes como Ivete Sangalo, Bell Marques, Banda Eva, Léo Santana, Baby do Brasil, Moraes Moreira, Vingadora, Luiz Caldas, Sarajane, Gerônimo, Saulo, Cheiro de Amor e Tayrone se dividiram entre o circuito Dodô (barra Ondina), com 52 saídas de trios sem cordas, e o circuito Osmar (Campo Grande), com 35 trios para o folião pipoca.
Um total de 94 blocos das categorias afro, afoxé, samba, reggae e de índio tiveram seus desfiles no Carnaval 2016 patrocinados – integral ou parcialmente – pelo Governo do Estado, via programa Ouro Negro. Vinculado à Secretaria de Cultura (Secult), o projeto recebeu, neste ano, investimento de R$ 4,4 milhões. Com o Ouro Negro, as agremiações carnavalescas de matriz africana garantiram a sua sustentabilidade. Por meio do programa, a Secult tem promovido a requalificação dos desfiles dos blocos, estimulando a valorização e a preservação da tradição afro no Carnaval.
O Carnaval do Pelô fez uma grande homenagem aos 100 anos do Samba e reuniu atrações de peso em quatro palcos, com destaque para a noite de abertura, com um grande show de Paulinho da Viola. A festa também se espalhou pelas ruas do Centro Histórico de Salvador, que teve festas gratuitas para todos os gostos.

R$ 840 milhões na economia

Os resultados alcançados com o Carnaval de Salvador e nas 15 cidades do interior da Bahia são altamente positivos para os baianos e turistas, de acordo com a Secretaria de Turismo (Setur). Salvador recebeu cerca de 560 mil visitantes, brasileiros e estrangeiros, que injetaram R$ 840 milhões na economia local.
A média da ocupação hoteleira foi de 97% e alcançou os 100% nos hotéis próximos aos circuitos carnavalescos, um dos indicativos do êxito alcançado pelo governo. Este ano, foram geradas cerca de 230 mil vagas temporárias. A maioria delas em hotéis, restaurantes, bares, entre outros. Além dos empregos ligados diretamente às atividades do Carnaval, como blocos e camarotes.