Rodoviários fazem paralisação na manhã desta sexta

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


As movimentações por conta da votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), que acontece no próximo domingo (17), já podem ser sentidas em todo o país, inclusive em Salvador.

Em protesto contra o impedimento, 22 categorias trabalhistas vão paralisar suas atividades em Salvador e outras partes do estado das 4h às 8h da manhã desta sexta-feira (15).

Os rodoviários de Salvador e Região Metropolitana também vão fazer uma paralisação das 4h às 8h desta sexta-feira (14). No período, os ônibus permanecerão nas garagens, saindo só então para iniciar os roteiros do dia. Segundo o Sindicato dos Rodoviários, o protesto é tanto pedindo reajuste salarial como uma manifestação contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, que será votado pela Câmara no domingo.

Por conta disso, os ônibus não circularão no horário definido. O dirigente nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Tiago Ferreira, confirmou a paralisação. Neste mesmo horário, as BR-324, 101 e 116 terão o acesso bloqueado por manifestantes.

O ato é organizado pela Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo na Bahia. Às 15h, as categorias e centrais sindicais se reúnem na praça do Campo Grande para debaterem o momento político e as ações desenvolvidas em todo o Estado visando mobilizar a sociedade contra a aprovação do impedimento da presidente Dilma.

O encontro será o fechamento de um dia nacional de mobilizações, que começa com a paralisação de trabalhadores de diversas categorias em todo o estado no período da manhã.

Segundo o diretor da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Ailton Araújo, o Dia Nacional de Paralisações é um movimento espontâneo. “As paralisações não estão sendo exigidas, mas as próprias categorias, como os rodoviários, encontraram nisso uma forma de protestar, uma ferramenta de luta política para conscientizar a população”, afirmou o diretor.

A mobilização segue até o próximo domingo (17), dia da votação da proposta de impeachment, quando os movimentos social e popular organizam uma grande vigília em defesa da democracia a partir das 9h, no Farol da Barra.

Os bancários também vão aderir à manifestação. Segundo o Sindicato dos Bancários da Bahia, a abertura das agências do Centro de Salvador e das principais cidades do estado será retardada em uma hora.