Corpo de médico desaparecido é encontrado em estado avançado de esqueletização em Simões Filho

O corpo foi achado perto do veículo do médico, encontrado queimado no último dia 11

Autor: Simões Filho Online Com informações do G1

Publicada em


Vítima sumiu após sair de casa no dia 2 de outubro.

O corpo do médico Luiz Carlos Correio, 62 anos, que desapareceu no dia 2 de outubro, foi encontrado no dia 14 de outubro, na Via Parafuso, em Simões Filho, região metropolitana. A informação foi divulgada pela Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA) na noite desta terça-feira (25).

Conforme a Secretaria, um exame de arcada dentária confimrou que o corpo é do médico. A identificação foi realizada através de comparação feita com os exames odontológicos cedidos pela família da vítima, na última semana.

Segundo a SSP, a vítima foi localizada em um matagal, perto da região onde o carro do médico foi encontrado três dias antes, também na Via Parafuso. O corpo estava em estado avançado de esqueletização – estado mais do que avançado de decomposição. A Secretaria da Segurança informou que o Departamento de Antropologia Forense ainda confecciona outros laudos que devem apontar a causa da morte.

Ainda de acordo com a SSP, o pedido para a remoção do corpo foi feito pela 22ª Delegacia (Simões Filho), no dia 14 de outubro, data em que chegou ao IML. Desde então, o corpo foi preparado para receber a perícia antropológica, iniciada na sexta-feira (21) e concluída na manhã desta terça (25). O caso é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Até agora, ninguém foi preso suspsito de envolvimento no desaparecimento e morte do médico.

Carro carbonizado
O carro do médico Luís Carlos Correia Oliveira foi encontrado carbonizado também na na Via Parafuso, no dia 11 de outubro. Uma perícia comprovou que o veículo era o usado pelo médico no dia do desaparecimento.

Carro foi encontrado carbonizado também na na Via Parafuso

Filmagem
Imagens das câmeras de segurança mostram o momento em que a vítima deixa o condomínio onde morava, no bairro de Piatã, em Salvador. Depois que ele saiu do local, não foi mais visto.

Nas imagens, é possível ver o carro cinza deixando o local, por volta das 19h40, do domingo de eleições. Por outro ângulo, é possível ver que o motorista está sozinho e parece falar ao celular.

Os dois filhos dele estiveram na sede do Departamento de Proteção à Pessoa, no bairro da Pituba, onde foram ouvidos. Eles disseram que falaram com o pai pela última vez pouco antes dele sair de casa.

Caso
De acordo com o filho mais velho do médico, Liam Correia Inkpin, que mora em São Paulo, Luís Carlos foi visto pela última vez no início da noite de 2 outubro.

O filho do médico contou que o irmão mais novo, que mora em Salvador, foi no dia seguinte até a casa do pai, que mora sozinho, e não o encontrou.

Liam ainda falou que a polícia foi até a casa do médico e investigou as movimentações bancárias dele. “A única coisa que ele fez foi sacar um pouco de dinheiro no domingo a noite”.