Corpo encontrado em Simões Filho pode ser de barbeiro desaparecido

Autor: Redação

Publicada em


A equipe de Brigadistas Motta localizou um corpo em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), que pode ser do barbeiro Magno dos Santos Oliveira, de 26 anos. Ele está desaparecido há 21 dias.

Em contato com a redação do SIMÕES FILHO ONLINE, familiares contaram que foi surpreendido por uma ligação anônima. Durante o contato telefônico, uma pessoa que não quis se identificar revelou que tem um corpo enterrado em uma localidade conhecida como Portelinha.

Na tarde desta quarta, após contato com a família, a equipe de Brigadistas Motta foi ao local indicado e confirmou que realmente há um corpo enterrado em um terreno que fica em uma comunidade às margens da Avenida Elmo Serejo Farias, próximo ao Centro de Recuperação Valentes de Gideão, no bairro do Cia 2. Motta relatou que ainda não dá para saber se o corpo é o de Magno.

O cadáver ainda se encontra enterrado no local, e deve ser removido nesta quinta-feira (14/02). O Corpo de Bombeiro deve fazer a escavação no terreno. O pai de Magno deve acompanhar a remoção do corpo, para verificar se de fato se trata do filho desaparecido.

“Só podemos afirmar nesta quinta, quando chegar a perícia ou um familiar detectar algum sinal que confirme a identidade do corpo”, destacou o Bombeiro Motta.

É possível que somente após exames de DNA a família tenha a confirmação se é ou não o corpo do rapaz.

O corpo deve ser removido ainda hoje para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues, em Salvador, onde passará por exames cadavéricos e todos os tramites legais para a identificação da vítima. As causas da morte também serão apuradas conforme perícia médica.

O DESAPARECIMENTO

Recentemente, Magno se separou da companheira e resolveu voltar para a casa da mãe localizada na Avenida Elmo Serejo de Farias, no Bairro Cia 2, em frente ao Codomino João Filgueiras.

No dia 19 de janeiro, Magno resolveu sair da residencia da mãe, alugou uma casa e mudou-se para o Loteamento São José, no bairro KM-30. Três dias depois  — uma terça-feira, 22 de janeiro  — o rapaz desapareceu de forma misteriosa. Desde então, os dias seguintes são de uma via crucis para a mãe de Magno, a dona de casa Vanusa Maria dos Santos Oliveira, de 48 anos. Ela foi aos comércios do bairro, conversou com moradores, visitou hospitais, IML, tudo para levantar informações que pudessem ser usadas para ajudar na busca pelo filho, contudo, não obteve nenhuma notícia. O telefone do jovem consta como desligado e as mensagens de WhatsApp não chegam.