DENÚNCIA: Ex-namorada de Renato Fechine afirma ter sido agredida pelo humorista; Ele nega

Autor: Aratu Online

Publicada em


Foto: Arquivo Pessoal

Do Aratu Online, parceiro do Simões Filho Online.

Alex Sandra Nascimento, 43 anos, afirma ter sido agredida pelo humorista baiano Renato Fechine, 50 anos, na última semana, entre domingo (21/1) e segunda-feira (22/1). Em entrevista exclusiva ao Aratu Online, a mulher disse que teve um relacionamento de aproximadamente seis meses com o comediante, em 2017, período no qual teria sido vítima de agressões físicas e verbais.

Ela contou, ainda, que prestou queixas, anteriormente, e que fez exames de corpo de delito, mas continuou o relacionamento com Fechine. No entanto, nessa suposta última agressão, Sandra foi internada no Hospital Geral do Estado (HGE) e teve “medo de morrer”.

“Denunciar quem você gosta não é fácil. Ele mostrou que queria melhorar, até procuramos um amigo dele que é pastor, mas a ‘melhora’ durava pouco”, disse a denunciante. Sandra também falou que o ex-namorado a desmente e diz que ela mesma se agrediu, além de tomar “uma caixa” de remédio controlado para dormir. “Tomei dois comprimidos, porque ele não me deixava dormir, e analgésicos”, completa a mulher.

Aratu Online também entrou em contato com o humorista, por telefone, e o mesmo negou as agressões. Disse, ainda, que Sandra teria armado a situaão. “Não encostei nela. Ela se bateu, quebrou um copo na cabeça, bateu a cabeça no azulejo da cozinha, tentou me esfaquear e quebrou minha casa inteira”, falou.

Em seguida, segundo Fechine, a mulher teria deitado em sua cama e dito que já tinha avisado à imprensa e à polícia. “Ela tomou remédios e passou dois dias aqui dormindo. Só fiz ‘jogar água’, porque não a aguentava mais, e a coloquei em um táxi para ir embora”, relata o humorista.

“Ela se reaproximou há um tempo. Sempre foi uma pessoa legal, agradável, mas não consigo entender isso. Tenho 50 anos, e nunca ouviram falar nada [ruim] de mim – desafio qualquer um. Só fiz as pessoas sorrirem, ao longo da minha vida”, completa.

O portal tentou contatar a Delegacia da Mulher, para mais esclarecimentos, mas não conseguiu até a publicação desta matéria.