Deputada Kátia Oliveira quer instalação de campus da Uneb em Simões Filho

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


A deputada estadual Kátia Oliveira (MDB) defende a instalação de um campus da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) em Simões Filho, com a oferta de cursos presenciais e EAD. Segundo a parlamentar, este é um compromisso antigo assumido, em 2012, pelo então governador Jaques Wagner (PT) e, em 2014, pelo candidato e hoje governador Rui Costa (PT). “É uma promessa antiga do governo que ainda não saiu do papel”, ressalta a deputada.

Para a deputada, após a greve das universidades estaduais, a Uneb entre elas, na última quarta-feira (12), este é o momento para retomar este debate. Kátia solicita também a implantação de um parque científico-tecnológico, com foco em pesquisa e inovação.

Ela ressalta que Simões Filho tem quase 140 mil habitantes e é a sexta economia da Bahia, o que justifica a necessidade de implantação de um centro universitário aliado a um parque de pesquisa. Segundo a parlamentar, o município conta com 3.500 estudantes de nível superior cadastrados junto a Secretaria Municipal de Educação para uso do transporte universitário para outras cidades, como Salvador e Camaçari.

“Esse fenômeno tem, inclusive, repercussões financeiras graves para o município. Afinal os jovens e adultos – grandes consumidores – encontram-se fora do perímetro do município todas as noites, gastando seus recursos financeiros em outras cidades. Assim, implantação de um centro universitário pode contribuir, ainda mais, para o desenvolvimento do comércio local”, pondera.

Para Kátia Oliveira, a instalação da Uneb e do parque científico-tecnológico é, inclusive, uma medida que incentiva a geração de emprego e renda, uma vez que vai “atuar na formação profissional da população local, incentivando aqueles que desejam fazer um curso superior, bem como dinamizar a economia da região”.

Ela destaca que a educação é o caminho para construção de uma sociedade próspera e pacífica. “A educação permanece sendo uma ferramenta indispensável para a diminuição das desigualdades sociais e construção de cultura da paz, onde haja o predomínio do respeito e tolerância e a violência seja erradicada”, finaliza Kátia.