Dinheiro do Bolsa Família começa a ser depositado na conta a partir de segunda

O dinheiro dos beneficiários do Programa Bolsa Família começa a ser depositado a partir de segunda-feira (17/09) pelo Governo Federal e Caixa Econômica Federal. O valor é referente ao pagamento do mês setembro. Mais 13 milhões de famílias serão beneficiadas pelo saque. O investimento total de cerca de R$ 2,62 bilhões. Além disso, o 13º salário do Bolsa Família já esta garantido e o calendário de pagamento você acompanha  nesta matéria, logo mais abaixo.

Valores a receber

Cada família pode recebe valores que variam de 41 à 372,00, dependendo dos tipos de benefícios que elas estão enquadradas. É importante informar que as famílias extremamente pobres, por exemplo, podem acumular o benefício “Básico”, o “Variável” e o “Variável Jovem”, até o valor máximo de R$ 372,00 por mês. Mas o valor médio pago pelo programa a cada família varia de R$ 186 a R$ 189.

Os pagamento do Bolsa Família são feitos pela Caixa Econômica Federal. O beneficiário quem tem conta no Banco tem um novo jeito de receber o Bolsa Família por meio da Poupança Caixa Fácil. Ela é uma conta simplificada, que pode ser aberta em Lotéricas e Correspondentes Caixa Aqui, com limite de saldo e movimentação mensal de R$ 3.000,00. A conta possui um cartão magnético que possibilita compras, depósitos, saldos, transferências e muito mais.​

Calendário de pagamento de setembro

Os benefícios do Bolsa Família são pagos mensalmente, seguindo um calendário nacional. O calendário estabelece as datas de pagamento de acordo com o último número do NIS (Número de Identificação Social) impresso no Cartão Bolsa Família. Por exemplo: para um cartão com NIS terminado em 5, o saque poderá ocorrer a partir do quinto dia do calendário oficial de pagamentos. Cada benefício fica disponível para saque por 90 dias a partir da data prevista no calendário. O benefício de janeiro, por exemplo, pode ser sacado até o mês de abril.

  • Novo calendário de setembro:
  1. Final do NIS 1 – Pagamento em 17/09
  2. Final do NIS 2 – Pagamento em 18/09
  3. Final do NIS 3 – Pagamento em 19/09
  4. Final do NIS 4 – Pagamento em 20/09
  5. Final do NIS 5 – Pagamento em 23/09
  6. Final do NIS 6 – Pagamento em 24/09
  7. Final do NIS 7 – Pagamento em 25/09
  8. Final do NIS 8 – Pagamento em 26/09
  9. Final do NIS 9 – Pagamento em 27/09
  10. Final do NIS 0 – Pagamento em 30/09

O 13º do Bolsa Família

O valor do seu 13º do Bolsa Família será o mesmo que você recebe atualmente. Por exemplo, se você recebe R$ 205,00 mensal, irá receber mais R$ 205, totalizando R$ 410,00. Esse pagamento já está com datas confirmadas e você poderá sacar o dinheiro na Caixa Econômica Federal. O pagamento será feito de acordo com o último número do NIS impresso no Cartão Bolsa Família.

Por exemplo: para um cartão com NIS terminado em 4, o saque poderá ocorrer a partir do quarto dia do calendário de pagamento, conforme datas abaixo:

Datas de pagamento do 13º salário do Bolsa Família

  1. Final do NIS 1 – Pagamento em 10 de dezembro
  2. Final do NIS 2 – Pagamento em 11 de dezembro
  3. Final do NIS 3 – Pagamento em 12 de dezembro
  4. Final do NIS 4 – Pagamento em 13 de dezembro
  5. Final do NIS 5 – Pagamento em 16 de dezembro
  6. Final do NIS 6 – Pagamento em 17 de dezembro
  7. Final do NIS 7 – Pagamento em 18 de dezembro
  8. Final do NIS 8 – Pagamento em 19 de dezembro
  9. Final do NIS 9 – Pagamento em 20 de dezembro
  10. Final do NIS 0 – Pagamento em 23 de dezembro

LEIA MAIS: Veja 10 motivos que fazem o beneficiário perder o Bolsa Família

Deligamentos

Em 2019, mais de 11 mil famílias já solicitaram desligamento voluntário do Bolsa Família. Segundo a diretora do Departamento de Benefícios do Ministério da Cidadania, Caroline Paranayba, se a família que solicitou o desligamento voluntário precisar novamente do benefício, o processo é simples. “Se a família pediu o desligamento voluntário até 36 meses atrás, basta fazer a conta; se foi a menos de 3 anos, é só procurar o setor responsável pelo Bolsa Família na sua cidade, levar a documentação e solicitar a reversão do cancelamento.”

Famílias consideradas abaixo da linha da pobreza, com renda per capta de até R$ 178 por mês, tem retorno garantido ao programa. Para solicitar a reinclusão, o beneficiário deve procurar o setor responsável pelo Bolsa Família de seu município. É necessário levar CPF ou título de eleitor e documento de identificação do responsável familiar. Além disso, é preciso apresentar a documentação de todos os integrantes da família, para atualizar o cadastro.

Acompanhamento escolar

O acompanhamento da frequência escolar do Bolsa Família bate novo recorde. Dos quase 14 milhões de estudantes contemplados pelo programa, 12,6 milhões foram acompanhados entre os meses de abril e maio. Dado equivale a 89,81% do total de alunos e representa a melhor cobertura já registrada para o período. A realização deste monitoramento envolve escolas, secretarias municipais e estaduais de educação e a articulação dos ministérios da Cidadania e da Educação.

O secretário especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, Lelo Coimbra, destaca que é muito importante as famílias cumprirem seus compromissos de saúde e educação, previstos nas condicionalidades do programa. Ele avalia que, no caso da educação, manter a criança ou o jovem regularmente na escola abre uma janela para que todos tenham um futuro melhor. “É uma perspectiva fundamental estar em sala de aula, buscar uma formação para que esse jovem e essa criança possam ter a oportunidade de mudar a vida das suas famílias”. O acompanhamento da frequência escolar dos beneficiários do Bolsa Família é feito cinco vezes ao ano.

Quem pode participar do programa

A população alvo do programa é constituída por famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza.

As famílias extremamente pobres são aquelas que têm renda mensal de até R$ 89,00 por pessoa. As famílias pobres são aquelas que têm renda mensal entre R$ 89,01 e R$ 178,00 por pessoa. As famílias pobres participam do programa, desde que tenham em sua composição gestantes e crianças ou adolescentes entre 0 e 17 anos.

Para se candidatar ao programa, é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, com seus dados atualizados há menos de 2 anos.

Caso atenda aos requisitos de renda e não esteja inscrito, procure o responsável pelo Programa Bolsa Família na prefeitura de sua cidade para se inscrever no Cadastro Único.

Tipos de benefícios que você pode receber

Benefício Básico

Concedido às famílias em situação de extrema pobreza (com renda mensal de até R$ 89,00 por pessoa). O auxílio é de R$ 89,00 mensais.

Benefício Variável

Destinado às famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza que tenham em sua composição gestantes, nutrizes (mães que amamentam), crianças e adolescentes de 0 a 15 anos. O valor de cada benefício é de R$ 41,00 e cada família pode acumular até 5 benefícios por mês, chegando a R$ 205,00.

  • Benefício Variável de 0 a 15 anos:Destinado às famílias que tenham em sua composição, crianças e adolescentes de 0 a 15 anos de idade. O valor do benefício é de R$ 41,00.
  • Benefício Variável à Gestante:Destinado às famílias que tenham em sua composição gestante. Podem ser pagas até nove parcelas consecutivas a contar da data do início do pagamento do benefício, desde que a gestação tenha sido identificada até o nono mês. O valor do benefício é de R$ 41,00.
  • Benefício Variável Nutriz:Destinado às famílias que tenham em sua composição crianças com idade entre 0 e 6 meses. Podem ser pagas até seis parcelas mensais consecutivas a contar da data do início do pagamento do benefício, desde que a criança tenha sido identificada no Cadastro Único até o sexto mês de vida. O valor do benefício é de R$ 41,00

Benefício Variável Jovem:

Destinado às famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza e que tenham em sua composição adolescentes entre 16 e 17 anos. O valor do benefício é de R$ 48,00 por mês e cada família pode acumular até dois benefícios, ou seja, R$ 96,00.

Benefício para Superação da Extrema Pobreza:

Destinado às famílias em situação de extrema pobreza. Cada família pode receber um benefício por mês. O valor do benefício varia em razão do cálculo realizado a partir da renda por pessoa da família e do benefício já recebido no Programa Bolsa Família.

Observação:

As famílias em situação de extrema pobreza podem acumular o benefício Básico, o Variável e o Variável Jovem, até o máximo de R$ 372,00 por mês. Como também, podem acumular 1 (um) benefício para Superação da Extrema Pobreza.

Veja mais