DINHEIRO EXTRA: Baianos aproveitam São João para incrementar a renda com ofertas juninas

Autor: Aratu Online

Publicada em


Do Aratu Online, parceiro do Simões Filho Online

São João é tempo de festa, arrasta-pé, forró, fogueira e comidas típicas, certo? Sim, mas também é uma oportunidade que muitas pessoas – desempregadas, ou ‘apertadas’ financeiramente – têm para conseguir um dinheiro extra e, assim, ajudar na renda. A época é propícia para iniciar um novo negócio ou aflorar uma habilidade ou desejo adormecidos, tornando-os rentáveis.


Foi o que aconteceu com a contadora Verusca Navarro, de 44 anos. Casada e com um filho de três anos, ela ficou desempregada em dezembro passado, depois de mais de 15 anos dedicados à área financeira. Já praticante do artesanato, Verusca viu em sua atividade complementar a chance de continuar contribuindo financeiramente em casa.

Aproveitando o ensejo do São João, abriu o leque de produtos – coletes, gravatas, camisas e tiaras temáticos. Ela conta que investiu, inicialmente, em maio, cerca de R$ 500, e já teve um retorno de R$ 2 mil, até meados deste mês de junho. “Quando estava trabalhando, já fazia artesanato, mas quis aproveitar a data comemorativa para ganhar um dinheiro extra. Deu certo”, contou Verusca, em conversa com o Aratu Online, parceiro do Simões Filho Online

Tiara, camisa e gravata confeccionados por Verusca | Fotos: Arquivo pessoal

Ela disse, ainda, que fez um curso de uso do feltro e que pretende continuar no ramo, mesmo se voltar a trabalhar como contadora. Além disso, quer expandir o trabalho para decoração de festas infantis. Questionada se a formação na área de contábeis a ajudou na hora de gerir o negócio, ela foi franca. “Em parte, porque com artesanato você precisa comprar coisas o tempo todo. Então, às vezes, você se perde e o material não é muito barato, como a maioria das pessoas pensa”, explicou.

Para ver mais sobre as confecções de Versuca, basta acessar a página “Verusca Navarro – Ideias Criativas”, no Facebook, ou em seu perfil no Instagram – @veruscanav.

CONFIRA O VÍDEO ABAIXO

VÍDEO

Se a inspiração no São João é recente para a contadora, para o aposentado Jadson Simões, de 71 anos, é uma realidade há mais de 30 anos, como renda complementar à atividade de gráfico, antes, e à aposentadoria, agora. Contudo, ele vai pelo segmento da bebida ‘queridinha’ dos festejos juninos – o licor. Ao Aratu Online, parceiro do Simões Filho Online, Seo Jadson, contou que pega o conteúdo em Muritiba, no Recôncavo Baiano, a 154 Km de Salvador, e o engarrafa e etiqueta já na capital baiana, para comercialização.

Foto: Arquivo pessoal

“O mais procurado é o de jenipapo, seguido pelo de cajá, mas também temos outros sabores, como maracujá, umbu e o de goiaba, que apesar de ser novidade, já está com boa aceitação”, afirmou o aposentado. Com um investimento inicial de R$ 2 mil, ele consegue um lucro aproximado de R$ 1500. “Para tirar o dinheiro investido tem que vender muito. Ainda mais porque dou muitos licores como cortesia aos amigos da igreja, por exemplo”, explicou Seo Jadson.

O aposentado iniciou as vendas deste ano no primeiro dia de junho e disse que só encerrará quando o estoque acabar. “Encomendas? Faço também, se quiserem”, afirmou, com entusiasmo. Para pedir os licores de Seo Jadson, é só ligar para o telefone 3398-4697.

TODO MUNDO QUER

O embalo das festas juninas contagia até quem já tem um negócio consolidado, como é o caso da panificadora Point do Pão, no bairro de Piatã, em Salvador.  Ativa há nove anos, o proprietário, Ubaldo Jr., aproveita a época para colocar à venda tudo o que o São João tem direito – licores, bolos típicos, canjica e até amendoim cozido.

Para ele, além de aumentar as vendas do mês em até 20%, a ação ajuda, principalmente, aqueles que não vão viajar e decidem fazer algo em casa, mas não têm tempo para preparar os comes e bebes. Também é uma forma de oferecer trabalhos temporários. “Contratamos funcionários em esquema de diária para preparar os produtos juninos”, disse Ubaldo.

Comidas típicas à venda na panificadora | Fotos: Juana Castro/Aratu Online

NA PONTA DO LÁPIS

Para o economista Carlos Fraga, o importante, para quem deseja se aventurar nos negócios nesta, ou em qualquer época do ano, é se programar com antecedência. “Às vezes, por falta de planejamento, a pessoa acaba gastando mais. Se não souber/conseguir fazer uma planilha mais detalhado, pode procurar a ajuda de um especialista, ou sites que ofereçam dicas aos microempreendedores, como o do Sebrae”, disse Fraga.

Veja o vídeo:

“Não tem um valor específico para guardar, com o que a pessoa conseguir com as vendas, mas é bom sempre deixar uma reserva para comprar a matéria-prima do seu trabalho”, concluiu o economista.