DPT fará reconstituição da morte dos irmãos Emanuel e Emanuelle

Autor: Aratu Online

Publicada em


A pedido do promotor de Justiça Edmundo Reis, do Ministério Público, a Justiça baiana marcou para o segundo domingo do mês de dezembro (11/12), a reconstituição da morte dos irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias. Eles morreram em acidente no bairro da Ondina, em 2013. Até o momento não foi confirmada a participação da médica Kátia Vargas – acusada de provocar a tragédia- na reconstituição.

A reconstituição será realizada pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT), que chegou a solicitar o adiamento de outra data mais recente, alegando que não havia tempo hábil para preparação. Testemunhas, que não foram nomeadas no despacho da Justiça, irão participar da reconstituição. A Polícia Militar prestará policiamento ostensivo para a simulação e a Transalvador ficará responsável pelas interdições necessárias no trânsito.

Médica vai a Júri popular

O Supremo Tribunal Federal (STF) negou, nesta segunda-feira (16/12), um pedido da defesa da médica oftalmologista Kátia Vargas Leal Pereira, 48 anos, acusada de provocar o acidente que resultou na morte dos irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, com 21 e 23 anos respectivamente, no dia 11 de outubro de 2013. O pedido era o último apelo para não ir a júri popular. Ela já havia recorrido ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que também negou.

De acordo com o advogado da família das vítimas o recurso ao STF não modificaria a decisão do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), tomada por unanimidade em abril de 2014.

Entenda o caso

Os irmãos morreram no bairro de Ondina em outubro de 2013. Eles estavam em uma moto quando sofreu uma batida no carro dirigido por Kátia Vargas – segundo a conclusão do inquérito policial e acusação do Ministério Público (MP), a batida foi provocada de maneira intencional pela médica. Ela havia discutido com Emanuel perto de um sinal pouco antes.

De acordo com o inquérito policial da 7ª Delegacia (DT/Rio Vermelho), a oftalmologista arremessou o veículo que dirigia contra uma moto pilotada por Emanuel Gomes Dias que trazia na garupa sua irmã Emanuele Gomes Dias, projetando-os contra um poste, em frente ao Ondina Apart Hotel, resultando na morte instantânea dos irmãos.

Imagens gravadas do local mostram o carro da médica seguindo atrás da moto antes da batida. A medica ficou presa por quase 2 meses no Conjunto Penal Feminino, no Complexo da Mata Escura, em Salvador.