Economia: 22 grandes investimentos vão gerar mais de 100 mil vagas em todo país

Autor: Redação

Publicada em


22 grandes investimentos vão gerar mais de 100 mil vagas em todo país
Mais de 100 mil vagas em todo país devem ser geradas nos próximos anos

Economia: 22 grandes investimentos vão gerar mais de 100 mil vagas em todo país – Os empresários estão otimistas e acreditam que a economia vai melhorar nos próximos anos, neste cenário, a grande maioria diz que vai investir pesado em seus empreendimentos. A expectativa de instituições financeiras é de que o produto interno bruto (PIB) cresça 2,55% no próximo ano e 2,5%, em 2020 e 2021. 22 empresas vão ou estão investindo R$ 800,02 bilhões no país, o que deve gerar mais de 100 mil vagas de empregos.

A reportagem mapeou os 22 maiores investimentos anunciados no Brasil:

Scania

  • Quanto: R$ 1,4 bilhão e 75 milhões
  • Quando: 2019-24
  • No que: O aporte extra de 75 milhões de reais que serão aplicados imediatamente em um novo centro de pesquisa e desenvolvimento em São Bernardo do Campo (SP).
  • Status: investimentos em andamento

O anúncio da marca de caminhões e ônibus, que está há mais de 60 anos no País, vem em um momento que outras montadoras também estão apostando suas fichas por aqui.

Huawei

  • Quanto: R$ 3,31 bilhões
  • Quando: 2020-22
  • No que: a abertura de uma nova fábrica no estado de São Paulo para a montagem de smartphones, numa cidade ainda a ser definida pela gigante chinesa em telefonia móvel.
  • Status: início em 2020

Huawei anunciou nesta sexta-feira a abertura de uma nova fábrica no estado de São Paulo para a montagem de smartphones, numa cidade ainda a ser definida pela gigante chinesa em telefonia móvel. O objetivo da empresa é abastecer o mercado nacional e exportar para o restante da América do Sul.

General Motors

  • Quanto: R$ 10 bilhões
  • Quando: 2020-24
  • No que: Investimento será em suas fábricas no estado de São Paulo. Desse total, R$ 5 bilhões serão aportados na unidade de São José dos Campos, onde será fabricada a nova geração da picape S10.
  • Status: início em 2020

A notícia foi dada em reunião que contou com o governador João Doria (PSDB) e com o presidente da GM na América Latina, Carlos Zarlenga. Com esses investimentos, cerca de 13 mil empregos serão preservados no estado, segundo a montadora — o governador de São Paulo, João Doria, diz que serão 15 mil.

Petrobras

  • Quanto: R$ 328,3 bilhões (US$ 84,1 bilhões)
  • Quando: 2019-23
  • No que: 93,3% dos recursos deverão ir para exploração, produção, refino, transporte e comercialização de petróleo e seus derivados e investimentos corporativos
  • Status: investimentos em andamento

Nos próximos cinco anos, a Petrobras pretende investir US$ 84,1 bilhões. Exploração e produção continuam sendo o que a empresa qualifica como “o mais importante motor de geração de valor da companhia”.

Toyota

  • Quanto: R$ 1 bilhão
  • Quando: 2019-21
  • No que: O investimento de R$ 1 bilhão acontece em sua fábrica de automóveis de Sorocaba (SP). O objetivo da montadora é produzir um novo carro na unidade, em 2021.
  • Status: investimentos em andamento

O modelo do novo carro ainda não foi revelado, mas a expectativa é seja um SUV. Atualmente, a Toyota não possui um veículo para competir entre os SUVs compactos, como Jeep Renegade e Honda HR-V, no mercado brasileiro. De acordo com a montadora, 300 trabalhadores serão contratados para ampliar a produção no local, onde Etios e Yaris já são produzidos.

State Grid

  • Quanto: R$ 140 bilhões
  • Quando: 2018-23
  • No que: Geração e transmissão de energia
  • Status: investimentos em andamento

O foco dos investimentos da chinesa State Grid nos próximos cinco anos será a atuação no segmento de transmissão para onde serão direcionados R$ 90 bilhões, segundo a Reuters. A empresa também avaliou o potencial para energia solar e eólica no Brasil, incluindo Bahia, Rio Grande do Norte e o Sul do Brasil.

Volkswagen

  • Quanto: R$ 2,4 bilhões
  • Quando: 2019-23
  • No que: nas fábricas de São Carlos e de São Bernardo do Campo para a fabricação de um novo modelo de veículo no Brasil (a empresa ainda não especificou qual será).
  • Status: investimentos em andamento

Serão criados nas duas fábricas paulistas um total de 1.500 novos empregos diretos e indiretos. Doria divulgou a notícia depois de visitar a fábrica da VW de Wolfsburg, onde ele conheceu o programa de qualificação profissional de jovens estudantes na unidade – a maior da montadora internacional de veículos.

Vale

  • Quanto: R$ 87,45 bilhões (US$ 22,4 bilhões)
  • Quando: 2019-2023
  • No quê: investimentos em expansão e em sustentabilidade
  • Status: investimentos em andamento

O pacote de US$ 22,4 bilhões em investimentos tem, entre os objetivos, aumentar até 2020 em um terço a produção anual de níquel; em 19%, a de cobre; em 66,7%, a de carvão; e em 2% a de minério de ferro.

Hyundai

  • Quanto: R$ 125 milhões
  • Quando: 20190-2020
  • No que: O investimento será em sua fábrica de Piracicaba, no interior paulista, com o objetivo de elevar sua produtividade.
  • Status: início ao longo de 2019

A planta, que opera no limite de sua capacidade desde 2013, é a responsável pela produção dos modelos HB20 e o SUV Creta. Com o aporte previsto para ser aplicado principalmente em equipamentos de alta tecnologia, incluindo robôs, a capacidade deverá aumentar em 30 mil unidades, para 210 mil por ano, informa a empresa em comunicado.

Vivo

  • Quanto: R$ 26,5 bilhões
  • Quando: 2018-20
  • No que: expansão das redes móveis 4G, 4G+ e da rede fixa com fibra
  • Status: investimentos em andamento

A Vivo está expandindo suas redes móveis 4G e 4G+ e a rede fixa. E aguarda as mudanças no Marco Legal das Telecomunicações, com a aprovação do PL 79, que altera o atual modelo de concessão para autorização.

Honda

  • Quanto: R$ 500 milhões
  • Quando: 2019-21
  • No que: em sua fábrica de motos em Manaus (AM). De acordo com a montadora, o montante será aplicado durante os próximos 3 anos.
  • Status: investimentos em andamento

O novo ciclo de investimentos prevê a renovação de equipamentos, construção de novos prédios, reposicionamento de linhas produtivas e a nova fábrica de motores.

Grupo petrolífero Total

  • Quanto: R$ 16,26 bilhões
  • Quando: 2018-23
  • No que: investimentos na área de combustíveis
  • Status: investimentos em andamento

O grupo petrolífero francês Total quer ficar mais conhecido no Brasil. Presente há 30 anos e dedicada à exploração e produção de petróleo em sete bacias, está entrando no segmento de distribuição e revenda de combustíveis.

TIM

  • Quanto: R$ 12 bilhões
  • Quando: 2018-20
  • No que: ampliação da cobertura de banda larga via fibra ótica e do alcance na tecnologia celular 4G
  • Status: em andamento

Até 2020, a TIM pretende aplicar R$ 12 bilhões na ampliação da cobertura de banda larga via fibra ótica e do alcance da tecnologia celular 4G. Nos nove primeiros meses do ano, a TIM investiu R$ 2,57 bilhões, 3,3% a mais do que no mesmo período de 2017.

CPFL Energia

  • Quanto: R$ 10,4 bilhões
  • Quando: 2018-21
  • No que: 94% dos recursos serão aplicados em distribuição
  • Situação: investimentos em andamento

Com mais de 9,4 milhões de clientes atendidos em quatro estados – SP, PR, RS e MG -, a CPFL está desenvolvendo um pacote de investimentos que serão aplicados na modernização, expansão e digitalização da rede.

Aprosoja-MT

  • Quanto: R$ 8,7 bilhões
  • Quando: 2019-2026
  • No quê: Construção de ferrovia de 970 km entre Sinop (MT) e Miritituba (PA)
  • Status: Depende de licitação

Entre os maiores investimentos, o que mais depende de uma definição governamental é a construção da Ferrogrão, uma ferrovia de 970 km que ligaria SInop a Miritituba, às margens do rio Tapajós, para escoar a safra de grãos do Norte do Mato Grosso.

Fiat

  • Quanto: R$ 8 bilhões
  • Quando: 2018-23
  • No que: Modernização da fábrica de Betim (MG)
  • Status: investimentos em andamento

Até 2023, a Fiat pretende aplicar R$ 8 bilhões na expansão de sua unidade em Betim (MG), a maior do mundo do Grupo FCA. Segundo a empresa, os recursos permitirão ampliar a gama de produtos da montadora e fortalecerão a presença no mercado brasileiro e latino-americano.

Klabin

  • Quanto: R$ 7,5 bilhões (US$ 2 bilhões)
  • Quando: a definir
  • No quê: fábrica integrada de celulose e papel
  • Status: em análise

Grupo Inpasa

  • Quanto: R$ 5 bilhões
  • Quando: 2020-23
  • No quê: em usinas de etanol de milho em MT
  • Status: em 2020

De acordo com o diretor executivo da empresa, Rafael Augusto Ranzolin, o ambiente do Estado é propício para o desenvolvimento da cadeia do etanol de milho. “Temos  incentivos fiscais atrativos para a indústria de etanol de milho além da matéria prima”, disse.

Mais de 100 mil vagas em todo país podem ser geradas

 Mercado Livre

  • Quanto: R$ 5 bilhões
  • Quando: 2019-20
  • No quê: dedicados às suas operações no Brasil
  • Status: em andamento

A companhia explica que grande parte desse capital será usada para incrementar a área logística, visando acelerar a velocidade de entregas das mercadorias, e para a expansão da oferta de serviços financeiros do Mercado Pago.

Nestlé

  • Quanto: R$ 1 bilhões
  • Quando: 2019-21
  • No quê: instalação de novas linhas nas fábricas em São Paulo, e novas tecnologias aplicadas a fábricas e produtos, além de iniciativas de transformação digital e aceleração de startups.
  • Status: em andamento

Também estão previstas iniciativas realizadas por meio de uma parceria com o Investe São Paulo, programa da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade.

Mercedes-Benz

  • Quanto: R$ 2,4 bilhões
  • Quando: 2018-22
  • No quê: modernização das fábricas de caminhões e chassis de ônibus de São Bernardo do Campo (SP) e Juiz de Fora (MG)
  • Status: em andamento

O objetivo é seguir o conceito de Indústria 4.0 e tornando as plantas brasileiras ainda mais competitivas e referência em todo mundo. Nesse montante, está também a melhoria contínua dos veículos comerciais da marca e o desenvolvimento de novos produtos e de tecnologias em serviços e conectividade.

Suzano

  • Quanto: 6,4 bilhõe
  • Quando: 2019
  • No quê: em modernização e expansão, estrutura logística, terras e manutenção operacional.
  • Status: em andamento

O montante equivale a 20% da receita líquida pro forma da companhia em 2018, calculada a partir dos resultados alcançados separadamente pela Suzano Papel e Celulose e pela Fibria. As duas empresas, que deram origem à Suzano, concluíram a fusão em 14 de janeiro de 2019 e desde então operam como uma única companhia.

Diante desse cenário, há esperança de que o país decole futuramente, o que deve gerar mais de 100 mil vagas em todo país.