“Economia começando a colapsar”, diz Paulo Guedes durante caminhada ao lado de Bolsonaro

Autor: Aratu On

Publicada em


A economia brasileira já sente os efeitos do novo coronavírus e está começando a colapsar, segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes. A avaliação foi feita nesta quinta-feira (7/5), quando ele, o presidente Jair Bolsonaro e alguns empresários foram andando até o Supremo Tribunal Federal (STF) para uma reunião fora da agenda.

A intenção era mostrar ao presidente do STF, Dias Toffoli, a opinião dos empresários. Na reunião, Bolsonaro voltou a criticar governadores e prefeitos, dizendo que “alguns estados foram um pouco longe nas medidas restritivas”.

“As consequências estão batendo à porta. Autônomos perderam ou tiveram a renda reduzida. Quem tem carteira assinada, está batendo na casa de 10 milhões de desempregados. Este número tende a crescer. Por isso, esse grupo de empresários nos trouxe essa preocupação”, disse Bolsonaro.

Guedes, por sua vez, também reclamou do enfrentamento do coronavírus por órgãos municipais e estaduais. “A economia está começando a colapsar. Não queremos virar a Venezuela e nem a Argentina”, disse. “Quando o Paulo Guedes fala de Venezuela, ele não fala do regime, fala da economia. Chegou a um ponto lá que fica difícil recuperar”, acrescentou Bolsonaro.

Os empresários, segundo o governo, representam mais de 40% do PIB e 30 milhões de empregos no país. Entre os números apresentados na reunião, foram citadas 65 fábricas paradas no setor automotivo e 47% empresas fechadas no setor de máquinas e equipamentos.

“Os empresários trouxeram pessoalmente essas aflições, que é a questão do desemprego, de a economia não funcionar. Os efeitos não podem ser mais danosos que a doença”, repetiu o presidente. “Economia também é vida. Não adianta ficar em casa e, quando sair, não ter nada para comprar nas prateleiras. Seremos esmagados por isso”, acrescentou.

O ministro Dias Toffoli revelou que está de acordo com as ideias do presidente. “Já conversei com o presidente que seja um planejamento organizado para a volta. […] O Brasil é uma das sociedades mais complexas do mundo. São poucos países que têm o parque industrial que temos. Produzimos do brinquedo ao aço. Do parafuso ao foguete”, disse.