Em Simões Filho, Central de Regulação do Estado ainda não transferiu paciente que necessita de UTI

.

Autor: Redação

Publicada em


A Central de Regulação do Governo do Estado continua fazendo vítimas. Em Simões Filho, o pedreiro Joílson Santana da Silva, de 42 anos, continua sofrendo no Hospital Municipal de Simões Filho. Ele está em estado grave e precisa ser transferido urgentemente.

Joílson deu entrada na unidade de saúde no último domingo (12/8) após ter uma Asfixia por vômito. Segundo parentes, o pedreiro teria se engasgado com o próprio vômito enquanto dormia. Há seis dias ele aguarda regulação por um leito em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na rede pública de saúde. Joílson é casado e tem dois filhos.

NOTA DO HOSPITAL

O Hospital Municipal de Simões Filho (HMSF), por meio da Associação de Proteção a Maternidade eInfância de Castro Alves – APMI informa que o Sr. JOILSON SANTANA DA SILVA, 42 que deu entrada dia 12 de agosto (domingo), encontra-se internado na sala de estabilização da unidade, sendo monitorado e acompanhado pela equipe de urgência e emergência do hospital.

O paciente precisa ser transferido para outra unidade devido à gravidade do seu problema, porém, esse procedimento é de total responsabilidade do estado, conforme acontece em todo o país. Ou seja, o paciente só pode ser transferido para outra unidade de saúde sob autorização e regulamentação do estado. Por lei, o Hospital Municipal de Simões Filho não pode “burlar” esse regulamento.

O HMSF está empenhado em solucionar o mais rápido possível a situação, facilitando todas as questões que são de responsabilidade da casa. Contudo, precisa seguir a lei nacional e aguardar os trâmites da Central de Regulação do Governo do Estado da Bahia, que conforme já foi citado, são os responsáveis por todo o procedimento.

Salientamos que, toda a equipe do hospital está fazendo o possível para proporcionar todos os cuidados necessários ao paciente, bem como o apoio a família. Nosso principal objetivo é “salvar” vidas, sem medir esforços; o bem-estar dos nossos pacientes está sempre em primeiro lugar.Temos profissionais apostos 24 horas para atender as necessidades não só do Sr. Joilson, mas de todos que precisarem.

Nos solidarizamos ao sofrimento da família e voltamos a afirmar que, todas as medidas cabíveis para zelar pela vida do paciente estão e jamais deixarão de serem tomadas. Buscamos a cada dia desenvolver um atendimento mais humanizado e de qualidade para os simõesfilhenses.