Em vídeo, Ex-líder do tráfico conta tudo sobre assalto em Salvador até chegar em Simões Filho

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


Ex-líder do tráfico em Simões Filho, o hoje missionário Júlio Bomfim chegou a fazer rap de apologia ao crime. Em um dos clips ele menciona um ataque a carro-forte em Salvador.

Hoje evangélico, o ex ‘Júnior do Gueto’ foi considerado como o maior traficante de Simões Filho na época, até passar por uma experiência de conversão marcante, cujo testemunho já ganhou e emociona a todos. Preso três vezes, o ex-traficante respondeu processos por porte ilegal de armas, foi acusado de cometer vários homicídios, latrocínios, além de comandar o tráfico nos dois maiores bairros periféricos de Simões Filho – Cristo Rei e Jardim Renatão. Ao mesmo tempo rapper e pagodeiro, Júnior do Gueto foi preso pela última vez em fevereiro de 2013, sendo capturado após cumprimento a um mandado de prisão, mas ficou no xadrez cinco meses, quando oito presos fugiram da 22ª DP, após serrar as grades.

Júnior do Gueto, alem ter envolvimento com o crime, também tinha o dom para a música. Entre suas composições, várias canções retratava sua vida na criminalidade. O vídeo “5 Lokos, fuga em Salvador”, publicado no Youtube no mês de abril de 2011, relata um assalto a um carro-forte na Avenida Vasco da Gama. “Estamos na Avenida Vasco da Gama esperando o carro-forte/ Igual a cobra para dar o bote / O blindado vai passar 11h30 da manhã/ Nossas armas é fuzil metralhadora alemã/ Quando o carro apontou nós fechamos a pista/ O primeiro detonado foi o motorista”. Veja abaixo a música completa. No vídeo, ele narra o caso de Salvador a Simões Filho.

Veja o clipe:

Em fevereiro deste ano, durante uma entrevista exclusiva concedida ao Simões Filho Online, Irmão Julio – ex-Júnior do Gueto revela detalhes da sua vida no mundo do crime nunca contados antes. Ele revela a transformação de vida que lhe aconteceu. Junior conta com riqueza de detalhes fatos que marcaram a sua vida na criminalidade – casos nunca contados antes.

Assista a entrevista completa: