Espanha ultrapassa China em número de mortos por coronavírus

Autor: Redação

Publicada em


A Espanha registrou um salto de 638 mortes por novo coronavírus Covid-19 nesta quarta-feira (25), ultrapassando o total de óbitos em decorrência da doença na China, país onde se originou, que agora luta para lidar com o número crescente de infecções.

Ocupando o segundo  maior número de mortes no mundo, a Espanha registrou 3.434 mortes e está logo depois da Itália com 6.820. Uma pista de patinação em Madri foi transformada em um necrotério improvisado, e dezenas de mortes estão sendo registradas em lares de idosos em todo o país.

Profissionais de saúde da Espanha, que respondem por milhares dos infectados, entraram com ações judiciais contra o governo, queixando-se da falta de equipamentos básicos de proteção, como máscaras, jalecos e luvas.

O Exército espanhol já solicitou à Otan ventiladores pulmonares, equipamentos de proteção e kits de teste, disse o chefe das Forças Armadas, Miguel Villarroya, nesta quarta-feira (25). A Espanha está no 11º dia de um bloqueio nacional que era previsto para 15 dias, mas que provavelmente será estendido para 30 dias. Escolas, bares, restaurantes e a maioria das lojas estão fechadas. Reuniões sociais são proibidas. As pessoas estão confinadas em suas casas.

“Alcançamos uma redução quase total no contato social”, disse o chefe de emergência em saúde, Fernando Simon, em entrevista coletiva, acrescentando que a Espanha estava chegando ao auge da epidemia.

O número de casos de coronavírus aumentou em um quinto, para 47.610, nesta quarta-feira (25).

As autoridades informaram que além do impacto devastador na saúde, o bloqueio foi um golpe punitivo para a economia espanhola, com dezenas de milhares de trabalhadores temporariamente afastados, à medida que setores como varejo, turismo e manufatura pararam.