Ex-prefeito Eduardo Alencar chama Dinha de mentiroso e rebate sobre dívida de R$ 300 milhões – Ouça o áudio

“Meu erro eu assumo, agora transferir para mim a responsabilidade da dívida".

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


Na manha desta quarta-feira (12), o ex-prefeito Eduardo Alencar (PSD), se manifestou após o atual prefeito de Simões Filho, Diógenes Tolentino (PMDB), apresentar o balanço dos primeiros 100 dias de Governo. Na tarde da última segunda-feira (10), Dinha apresentou na Câmara de Vereadores o Relatório Conclusivo da Transição, que apontou uma dívida de R$ 300 milhões a curto e longo prazo. De acordo com dados apresentados pelo atual gestor municipal, a dívida fundada interna chegou a R$ 230 milhões em 2016. No final de 2008, a dívida era de R$ 38,5 milhões. O valor é seis vezes maior ao registrado há oito anos.

Diante desses dados, Eduardo Alencar concedeu uma entrevista exclusiva ao Radialista Jairo Mascarenhas, durante o Programa Bom Dia Simões Filho, da Rádio Simões Filho FM, e rebateu o atual gestor chegando a firmar que o mesmo faltou com a verdade. [Ouça o Áudio no final da matéria]

“Eu assumir a prefeitura em 2009. Quando eu assumir a prefeitura de Simões Filho tinha essa dívida que ele (Dinha) falou aí. Mas só que ele esqueceu de dizer que durante o período da administração dele – Diógenes Tolentino e Edson Almeida – ele trabalhou os quatro anos sem pagar a previdência – ele não pagava a previdência. Eles entravam com uma liminar”, explicou Alencar e ainda completou dizendo: “Ele passou os quatro anos dele pagando o principal – o INSS dos funcionários e empurrado sem pagar a previdência do restante do INSS. Quando ele me entregou a dívida em 2008, existia um passivo enorme com a previdência que está Sub judice, porque ele entrava com liminar e não pagava”, completou.

Ainda segundo o ex-gestor, o valor total do débito é somado a dívidas antigas, destacando inclusive, os valores contraídos na gestão de Edson e Dinha – que acumularam naquela época um montante de R$ 84 milhões chegando a 122 milhões. “Eu não posso ficar calado e nem aceitar –  ele querer transferir para minha responsabilidade como se eu tivesse adquirido uma dívida de R$ 300 milhões em 8 anos de administração – o que é um verdadeiro absurdo – é uma verdadeira mentira. A dívida existe e é de 290 milhões – mais ou menos isso aí, mas é desde 1997”, pontou durante a entrevista.

“O meu erro eu assumo, agora transferir para mim a responsabilidade por toda essa dívida é uma verdadeira mentira. Ele deveria recolher todos os panfletos da cidade”, ressaltou Alencar sobre milhares de exemplares de um informativo imprenso dos 100 dias da atual gestão.

Ouça trecho do Áudio: