EXCLUSIVO! Deputado de Dinha ataca Solla por acusação contra Neto: “não tem moral para falar de ninguém”

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


Foto: Reprodução internet

Do Blog de Pablo Reis, – Aratu Online, parceiro do Simões Filho Online

com colaboração de Dinaldo Santos, do Aratu Online, parceiro do Simões Filho Online e Léo Barsan, da Aratu

O deputado federal Paulo Azi (DEM), aliado do Prefeito de Simões Filho Diogenes Tolentino, representando o município no cenário federal, subiu o tom contra o colega Jorge Solla (PT): “responde a vários processos frutos da desastrada passagem na secretaria de saúde da Bahia. Não tem autoridade moral para falar de Neto ou de quem quer que seja“.

O vídeo, gravado com exclusividade para a Aratu, é uma reação ao discurso de Solla no plenário da Câmara. “A tentativa do deputado Solla de envolver o prefeito ACM Neto no lamentável episódio de apreensão de malas de dinheiro pela Polícia Federal só demonstra o quanto é irresponsável o seu mandato“, ataca Azi.

Veja o vídeo aqui:

A polêmica começou com um pronunciamento, feito nesta terça-feira (5), pelo deputado federal Jorge Solla (PT). Após a Polícia Federal divulgar que havia encontrado malas com dinheiro em um apartamento ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, Solla insinuou que o montante encontrado seria para financiar a campanha do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), ao executivo do Estado nas próximas eleições de 2018. Por ironia, o prédio onde houve a apreensão, José da Silva Azi, leva o nome do tio de Paulo Azi, que foi deputado e prefeito de Alagoinhas.

Procurado pelo Aratu Online, o petista relacionou sua fala, apenas,  com a intenção do prefeito em concorrer ao pleito, tendo como principal aliado, o PMDB de Geddel, nome que era considerado forte até o surgimento de denúncias que o levaram à prisão.

“Quem sabe quanto desse dinheiro não era para fazer campanha ano que vem pra tentar fazer ACM Neto governador? Mas o dinheiro sumiu ACM Neto, sumiu Geddel, não vai ter financiamento empresarial pra vocês ano que vem, vai ter é cadeia. Espero que, pela primeira vez, a justiça seja feita”, disse Solla.

O deputado destacou, em seu discurso, que mesmo com as graves provas contra Geddel, ACM Neto não só mantém a aliança política, como premiará o aliado com a Prefeitura de Salvador em 2018, quando provavelmente sairá candidato a governador do Estado e deixará o vice, Bruno Reis (PMDB), comandado a capital baiana por dois anos.

Veja vídeo:

Participe do debate sobre política pelo www.twitter.com/opabloreis