Familiares e amigos dão adeus a Ana Paula e fazem manifestação em Simões Filho – Assista vídeo

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


O enterro da cabeleireira Ana Paula da Silva Gomes, 24 anos, foi marcado por protestos contra a violência sofrida pela jovem. O corpo de Paula foi localizado dentro do seu próprio apartamento, com sinais de ter sido abusada sexualmente e com várias facadas em diferentes região do corpo. O crime ocorreu na tarde do último domingo (26), no bairro CIA II, dentro do Condomínio Palmeiras, em Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador (RMS).

O protesto considerado pacífico teve início após o enterro da vítima. Familiares e amigos bastante emocionados, em clima de tristeza e revolta, entoaram cantos com pedidos de justiça.

Em homenagem a jovem, parentes e amigos mais próximos vestiam camisetas brancas, além de faixas e cartazes com pedindos de justiça.

 — Uma tristeza enorme toma conta do meu coração que está em pedaços. Ela tinha uma vida inteira pela frente. Só nos restam as memórias felizes que Paula nos deixou. Deus conforte a todos. — desabafa uma amiga de Paula.

Ana Paula morava no Condomínio Residencial Palmeiras, mas trabalhava na Rua das Granjas, Bairro Pitanguinha Nova, como cabeleireira, em um salão de beleza. Segundo populares, Paula deixa um filho de 07 anos de idade. Ela não era casada.

Veja o vídeo

O crime

A família de Ana Paula estava desesperada sem notícias da mesma há vários dias. De acordo com informações da Polícia, o corpo da jovem foi encontrado pelo pai no interior de seu apartamento. Ao chegar no local o mesmo percebeu que o apartamento estava trancado e um arrombamento foi feito para conseguir adentrar no imóvel. Ao abrir aporta da residência uma cena trágica apareceu para o pai da vítima. Ela foi encontrada nua, com as mãos amarradas e com ferimentos causados por faca extensas e profundas na região do rosto e peito em cima da cama de seu próprio quarto. O cadáver se encontrava totalmente descoberto, e com a genitália exposta. Havia sinais de violência sexual.

Investigação

A principal hipótese para os investigadores é que tenha se tratado de um crime passional uma vez que o apartamento estava trancado, o que indica que o assassino tinha a chave da residencia da vítima. Saiba mais detalhes aqui.