Fim da Vale em Simões Filho pode resultar em 700 demissões

Fim da Vale em Simões Filho pode resultar em 700 demissões
Fim da Vale em Simões Filho pode resultar em 700 demissões. Foto: Reprodução/Leitor

Fim da Vale em Simões Filho pode resultar em 700 demissões

Durante a manhã desta sexta-feira (11), cerca de 50 funcionários da mineradora Vale realizaram uma manifestação questionando o fechamento do Complexo Bahia, que fica em Simões Filho, município da região metropolitana de Salvador. Para sindicato, cerca de 700 colaboradores podem ser demitidos.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Simões Filho (STIM), o protesto teve início por volta das 6h30 e durou cerca de três horas. Os profissionais da empresa argumentam que o fechamento da unidade pode deixar cerca de 700 pessoas famílias desempregadas.

>Trio com carro roubado é preso após furar pedágio em Simões Filho

Os colaboradores da mineradora também solicitam o religamento de fornos, que estão desativados desde fevereiro deste ano.

Em nota, a a empresa informou que encerrará a operação de ferroligas de manganês, da planta da Vale Manganês, do município de Simões Filho. A previsão é que o processo de desmobilização do local aconteça até o final do ano.

>Atakadão Atakarejo volta a contratar em Simões Filho sem exigir experiência

A Vale também informou que ao longo dos últimos anos tentou todas as alternativas viáveis manter a operação autossustentável e competitiva no mercado.

Segundo a Vale Manganês, a unidade irá adotar medidas que estiverem ao seu alcance para minimizar eventuais impactos da desmobilização e dialoga com o Sindicato, diversas ações, entre elas, a negociação de um programa de desligamento voluntário, extensão da assistência médica para empregados e seus dependentes, apoio em processo de recolocação no mercado de trabalho e mapeamento de vagas para possível transferência de trabalhadores para outras operações da Vale.

>Famosa rede de restaurantes abre 100 vagas de emprego na RMS

A empresa também disse em nota que reafirma o seu compromisso social e que permanecerá com o diálogo aberto e transparente com empregados, sindicato, fornecedores e poder público e a respeito das próximas etapas do processo.

>Grupo criminoso que atuava em Camaçari é preso

>Voluntários da Fundação Dr. Jesus fazem limpeza no CEIB

Veja mais