Botijão de gás de cozinha chega a R$ 150 em Simões Filho

Autor: Redação

Publicada em


Abastecimento de gás de cozinha
Foto: Victor Moriyama/Folhapress

Os pontos de revenda do botijão do gás de cozinha que forem flagrados cobrando preços abusivos serão autuados e multados. Os responsáveis poderão ser presos em flagrante por extorsão.

Em meio a crise de desabastecimento provocada pela paralisação dos caminhoneiros, os depósitos de gás estão sem estoque em em Simões Filho, na região Metropolitana de Salvador (RMS).  Por conta disso, algumas estabelecimentos comerciais que ainda têm gás de cozinha estão vendendo o botijão por até R$ 150, valor este 100% mais caro do que o preço praticado antes do início da greve dos caminhoneiros.

Em Salvador, a Codecon vistoriou 16 estabelecimentos nesta terça. Foram emitidas quatro notificações para esclarecimentos sobre falta de registro de nota fiscal, divergência de preço da tabela e as razões para pequeno reajuste praticado.

No primeiro local, fiscais flagraram um ponto de distribuição vendendo a unidade do botijão de 13 kg por R$ 100, quando a média de preço praticada em Salvador e região no período de 20 a 26 de maio foi de R$ 50 a R$ 63. O segundo estabelecimento autuado fica no Imbuí e foi denunciado diretamente à Codecon por um consumidor, que apresentou nota fiscal no valor de R$ 150.

A operação teve início nesta segunda-feira (28/5), depois de denúncias feitas pela própria população, devido à crise no abastecimento após a greve dos caminhoneiros.