Golpe clona WhatsApp de aposentados e pensionistas do INSS: Veja como se proteger

Golpe clona WhatsApp de aposentados e pensionistas do INSS: Veja como se proteger
Golpe clona WhatsApp de aposentados e pensionistas do INSS: Veja como se proteger

Golpe clona WhatsApp de aposentados e pensionistas do INSS: Veja como se proteger.

Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) devem ficar atentos aos novos golpes que estão na praça. Agora, estelionatários criminosos se apropriam do telefone do TeleSUS 136, ferramenta para reunir informações sobre o novo coronavírus, para obter informações pessoais de aposentados e pensionistas do INSS e sequestrar contas da vítima para pedir dinheiro.

O Ministério da Saúde, que tem usado o TeleSUS 136 para entrar em contato com os brasileiros, tem alertado sobre as diferenças de abordagem para evitar que mais pessoas caiam no golpe.

Veja mais: Aposentados e pensionistas do INSS não precisam pagar empréstimos por 4 meses

Como o golpe funciona?

Os criminosos entram em contato com a vítima para fazer uma suposta pesquisa sobre os sintomas da Covid-19 — tal qual ocorre com representantes da pasta da Saúde. A pessoa recebe um código no celular e informa ao golpista. Porém, trata-se de um PIN que libera o acesso ao aplicativo. No mesmo momento, a vítima é bloqueada do Whatsapp e o criminoso passa a usá-lo aplicando golpes.

Após fazer a clonagem, os criminosos tem acesso a lista de contatos da vitima. A partir daí eles utilizam o Whatsapp e pedi transferências bancárias a amigos e família das vítimas. O novo golpe tem deixado a Polícia Civil em alerta.

Veja essa: Funcionamento dos bancos para pagar aposentados e pensionistas do INSS

O que fazer para não cair no golpe?

  1. Certifique de que o número que está ligando é o 136, do Ministério da Saúde;
  2. O TeleSUS nunca pedirá dados pessoais do usuário;
  3. O ministério não envia códigos nem pede doações, por isso não clique em links de brindes e benefícios;
  4. Desconfie de qualquer oferta financeira da pasta e busque informação diretamente no órgão;
  5. Sempre recorra ao Ministério da Saúde para se informar sobre assuntos da pasta e desconfie de fontes não oficiais;
  6. Não compartilhe mensagens que não sejam totalmente seguras;
  7. Utilize a opção “phishing” (roubo de dados) no celular para evitar ataques em aplicativos e redes sociais.

Confira também: Aposentados: primeira parcela do décimo terceiro será paga esta semana pelo INSS

Veja mais