Grupo de Teatro da PM se apresenta em Simões Filho

Autor: Redação

Publicada em


Foto: Danilo Canuto

Na tarde desta sexta-feira (14/9), alunos da rede municipal e estadual, da cidade de Simões Filho, assistiram o espetáculo teatral “Labirinto”, realizado pelo Grupo de Teatro da Polícia Militar da Bahia, comandado pelo Capitão Elton Santana.

A ação integra o Projeto Participação Escolar e foi promovida pela 22ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), em parceria com a Prefeitura Municipal e Sest Senat. Dividido em dois turnos, nove escolas do município participaram: Luís Palmeira, União da Bahia, Pericles Rene de Souza, Maria Quitéria, Gildo Viana, Enock Pimentel, Reitor Miguel Calmon, Escola Estadual de Aratu e Edulindo Ribeiro.

“O que nós fazemos é levar arte para crianças e adolescentes, sempre acreditando que por meio da arte é possível socializar, ressocializar e sensibilizar a população para os assuntos afins, relacionados à esfera da segurança pública. E acima de tudo, estreitar um canal de comunicação entre a Polícia Militar e a sociedade”, explica o capitão Elton Santana, coordenador do grupo.

Foto: Danilo Canuto

A encenação revelou o obscuro mundo das drogas, através de Duda, Malu, Caio e Diego, que por conta de um amigo acabaram se envolvendo com as drogas e amargando suas consequências negativas.

Ação preventiva 

Referência dentro e fora do Brasil, o grupo já montou 46 peças teatrais, com apresentações nos Estados Unidos, África do Sul e Inglaterra, e tornou-se inspiração para os estados do Pará, Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Sul, que implantaram ações semelhantes na área de segurança pública.

“Cada um dos policiais do grupo entende que o projeto faz parte das ações preventivas da instituição. Nosso foco principal é oferecer uma base de sustentação para a tomada de decisão da juventude. Estamos sempre prontos para levar essa discussão tão necessária para os dias de hoje às escolas públicas e particulares e qualquer local que nos convide”, acrescenta o capitão.

Na Polícia Militar desde 1998, a cabo Andreia Ieda está há 16 anos no grupo teatral. Para ela, “é um trabalho magnífico e muito satisfatório. Nunca imaginei que dentro da Polícia Militar eu teria a oportunidade de fazer arte para conscientizar a nossa juventude”.

Luiza Santos, 16 anos, conta que achou a iniciativa fantástica e agradeceu pela oportunidade de assistir uma peça teatral pela primeira vez. “Assistimos algo que retrata o nosso dia a dia e atitudes como essa nos incentiva a continuar fazendo o certo e fazendo o bem. Parabéns a PM e a prefeitura por nos proporcionar algo tão legal.”

“A apresentação integra uma das ações do Projeto Participação Escolar, fazendo parte do Plano de Comando da 22ª CIPM, que tem o objetivo de estreitar os laços entre a Polícia Militar e a comunidade através de visitas às escolas, local onde os policiais dialogam com os estudantes sobre diversos temas, como drogas, criminalidade, problemas sociais”, disse o Tenente Bastos.