Guarda Municipal apreende 582 armas brancas nos dois primeiros dias de Carnaval

Autor: Redação

Publicada em


A Guarda Civil Municipal (GCM) apreendeu, desde o 1º dia de Carnaval, 582 objetos com potencial de arma branca, dentre os quais espetinhos, facas, garrafas de vidro, martelos, chave de fenda e tesoura.

Nas ações preventivas realizadas pela Guarda, já foram distribuídos 12.057 materiais com dicas de segurança, 1.081 crianças identificadas e quatro documentos recuperados.

Fiscalização de trânsito – Durante a operação da segunda noite de Carnaval, foram registradas 1.208 autuações e 71 remoções de veículos em situação irregular. Além disso, 560 veículos foram autuados por transitar irregularmente na faixa exclusiva para ônibus e táxis, localizada na Avenida Centenário. Cerca de 350 agentes participaram da operação.

Foram abordados 358 condutores durante a blitz de Lei Seca realizada na noite desta sexta-feira (1º). Destes, 29 foram autuados pelo consumo de bebidas alcoólicas antes de dirigir, e 24 por outras infrações. Vinte e seis CNHs foram recolhidas e 10 veículos removidos ao pátio da autarquia. Nenhum crime de trânsito foi identificado.

Durante abordagem educativa da Lei Seca, 657 motoristas profissionais passaram pelo teste de alcoolemia, entre taxistas, motoristas de ônibus, mototaxistas e motoristas da PMS. Nenhum foi flagrado com teor alcoólico no sangue.

Acidentes – A Transalvador registrou 41 acidentes durante o segundo dia oficial de Carnaval. Apesar do número elevado, não houve mortes. Porém, 15 pessoas ficaram feridas nestes acidentes.

Acolhimento – As casas de acolhimento provisório instaladas pela Secretaria Municipal de Políticas para Infância, Mulher e Juventude (SPMJ), próximas aos circuitos do Carnaval, receberam no segundo dia da festa 385 crianças. No total, quatro unidades públicas de ensino dispõem o serviço para os filhos de ambulantes e catadores cadastrados.

A estrutura que mais recebeu crianças foi a da Escola Municipal Casa da Amizade, em Ondina, com 107 meninos e meninas, seguida do Colégio Estadual Teixeira de Freitas, em Nazaré (103 crianças); Escola Municipal Osvaldo Cruz, em Amaralina (73); e Escola Estadual Senhor do Bonfim, no Bonfim (102).

Abordagem social – Dando continuidade às atividades de atendimento e encaminhamento de crianças e adolescentes identificadas em situação de vulnerabilidade e risco social, a equipe da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps) abordou mais de duas mil pessoas ao longo dos três principais circuitos da festa.

Ontem (01), foram feitos 293 cadastros. Dentre estes, registraram-se 255 crianças e/ou adolescentes em situação de vulnerabilidade, risco e violação de direitos e 38 crianças e/ou adolescentes em situação de trabalho infantil. A distribuição de pulseiras de identificação para crianças de até 11 anos saltou de 86 para 806 unidades do primeiro ao segundo dia de festa.

Ordenamento e iluminação – Fiscais da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) apreenderam 3.940 itens irregulares, sendo 3.374 no Circuito Dodô e 566 no Circuito Osmar. Os objetos mais apreendidos foram: latinhas de cerveja (1.964), água (1.050), refrigerantes (497), espetinhos (150), isopor (57), carros de mercado (26) e churrasqueira/fogão/fogareiro (21)

Na área da iluminação pública, foram 84 ocorrências de manutenção, troca de refletores, substituição de lâmpada ou poste, sendo, 40 na Barra e 44 no Centro. Não foi registrado ato de vandalismo.

Poluição sonora – Onze estabelecimentos foram vistoriados, sendo 10 no Circuito Dodô e um no Circuito Osmar, onde fiscais emitiram uma notificação. Foram ainda feitas 31 vistorias de trios, 11 em estabelecimentos, 34 em áreas públicas e duas em camarotes.

Defesa do Consumidor – A Codecon realizou diversas ações em estabelecimentos comerciais situados nos circuitos oficiais, além dos bairros onde há Carnaval, como Boca do Rio, Periperi, Paripe, Liberdade e Cajazeiras. Foram emitidos 68 notificações, cinco autos de infração e 440 vistorias.

As principais irregularidades encontradas foram: ausência de Código de Defesa do Consumidor, ausência de etiqueta informativa de preço (70), falta de higiene e lixeira inadequada (23), falta de higiene e/ou lixeira inadequada (23) e descumprimento da lei antifumo (34).