Homem que matou esposa com marreta enquanto dormia chegou a dizer que ela tinha ido embora de casa

Autor: Redação

Publicada em


Investigadores da Polícia Civil prenderam, na segunda-feira (9/09), Antônio dos Santos Borges, de 44 anos na cidade Santo Antônio de Jesus, recôncavo da Bahia. Ele é acusado de matar a companheira Maria Damiana dos Santos, 55 anos, com golpes de marreta. Ele enterrou o corpo da vítima no quintal do bar do casal.

Localizado em uma oficina mecânica, no bairro Ernesto Melo, Antônio foi conduzido para a Delegacia Territorial (DT), daquela cidade, onde confessou ter matado a companheira com golpes de marreta, enquanto ela dormia. O crime foi no último dia 31, depois de uma discussão entre o casal, mas o corpo da mulher só foi localizado nesta segunda-feria (09).

Ele ainda tentou negar o homicídio e só confirmou depois que os policiais encontraram o celular de Damiana escondido no carro dele. Em seguida, Antônio indicou o local onde escondeu o corpo da mulher, com quem conviveu durante nove anos, e foi autuado em flagrante por ocultação de cadáver.

O acusado relatou que enterrou o corpo de Maria Damiana no quintal do bar do casal e disse que, na noite do dia  31 de agosto, aplicou golpes de marreta na cabeça da vítima enquanto ela dormia. Depois, abriu uma cova rasa no fundo do estabelecimento comercial e a enterrou.

LEIA MAIS: Homem mata esposa a marretadas e corpo fica 9 dias enterrado em bar na Bahia

De acordo com o delegado Orlando Corsino, titular da DT/Santo Antônio de Jesus, a investigação teve início na sexta-feira (6/09), depois que a filha da vítima registrou ocorrência do desaparecimento de Damiana. “Diligenciamos na Rua Vereador João Silva, onde o bar fica localizado, e ouvimos várias pessoas para traçar uma linha de investigação”, detalhou.

Ainda segundo o delegado, quando questionado por familiares e amigos sobre a ausência de Damiana, Antônio informava que a companheira havia ido embora de casa, sem falar para onde. O criminoso vai responder por feminicídio e ocultação de cadáver e já teve a prisão preventiva solicitada à Justiça.