Idosos e cadeirantes sofrem durante cadastramento biométrico em Simões Filho, diz eleitores

Autor: Redação

Publicada em


Volta e meia esse cadastramento biométrico dá o que falar em Simões Filho. O assunto já é o mais comentado na cidade por dias consecutivos. Filas enormes, gente acampando no meio do passeio e muita reclamação fazem parte dos bastidores do processo obrigatório determinado pela justiça eleitoral.

A mais recente denuncia enviada por eleitores ao SIMÕES FILHO ONLINE está relacionada ao “atendimento prioritário”. O que deveria representar facilidade de acesso para idosos, cadeirantes, gestante e mães com crianças de colo, acabou se tornando um pesadelo para a maioria deles.

Em contato com a redação, uma cidadã identificada como Adriana Benício revelou que alguns idosos permaneceram por mais de 07h aguardando para fazer a biometria nesta terça-feira (05/02).

“Idosos que dormiram no relento, outros chegaram às 05:00h da manhã e até o meio-dia não foram atendidos.  Cadê o respeito ao atendimento preferencial? Isso porque tem 5 guichês de atendimento e se fosse menos, iriam ficar muito mais tempo esperando”, comentou Adriana.

Segundo ela, embora todos os preferenciais que estavam na fila tenham sido colocados sentados, dentro de uma sala separada, o tempo de espera ultrapassou os limites de quem muitas vezes, não possui condições físicas de ficar por horas aguardando atendimento.

“Alguém pode até questionar porque estão sentados. Aí eu pergunto, e o tempo que ficaram em pé na fila, alguns durante a noite, não conta? Uma pessoa nova ficar por um bom tempo sentada já cansa, imagine preferencial”, indagou ela.

Ainda de acordo com a simõesfilhense, enquanto 242 pessoas já tinham sido atendidas na fila normal, apenas 64 senhas preferenciais haviam sido chamadas, o que demonstra a falta de respeito, sobretudo com idosos e cadeirantes.