Jovem 24 anos encontrada morta em Simões Filho estava grávida de dois meses

Autor: Redação

Publicada em


Foto: Montagem Simões Filho Online/Arquivo pessoal

corpo de uma jovem de 24 anos que foi encontrado na manhã do último domingo (28/10) em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), foi reconhecido e identificado pela família. O corpo era da Operadora de Telemarketing, de 24 anos, Jamile Silveira de Melo. O sepultamento aconteceu na tarde da última quarta-feira (31/10).

O crime chamou ainda mais atenção, já que Jamile estava grávida de dois meses. Jamile morava no Parque São Bartolomeu, que fica localizado entre o bairro de Pirajá e a Enseada do Cabrito, no Subúrbio Ferroviário de Salvador.

A morte

De acordo com informações de familiares, Jamile desapareceu na noite do último sábado (27/11), depois de sair para comer uma pizza com as amigas. Durante o encontro com as colegas, ela recebeu um telefonema misterioso e se despediu do grupo.

No dia seguinte, a jovem foi encontrada morta, por populares, embaixo de uma barraca as margens da Via Periférica, próximo a Fábrica Atol, no Centro Industrial de Aratu (CIA), em Simões Filho. No corpo da vítima, havia sinais de espancamento e perfurações provocadas por arma de fogo na região da cabeça. Jamile vestia uma saia jeans, blusa preta, colete jeans azul, e usava sandálias.

Segundo a família, Jamile estava grávida de dois meses e o pai da criança não aceitava a gravidez. “Ele fazia de tudo para ela tomar remédio para perder”, revelou a irmã da vítima.

Jamile congregava na Igreja Evangélica Crescendo com Cristo, que emitiu nota lamentando a morte da fiel. “É com muito pesar que informamos sobre a morte de nossa irmã e companheira de jornada. A sua morte nos pegou de surpresa e a levou de nós repentinamente. Neste momento de dor e consternação, só nos cabe pedir a Deus que lhe ilumine e lhe dê paz, e que Deus dê conforto à sua família para que possam enfrentar esta imensurável dor com serenidade”, diz a nota.

O velório de Jamile aconteceu na Rua 24 de outubro, na antiga Igreja Sol da Justiça, na praça São Braz, em Plataforma nesta quarta-feira (31/10). O sepultamento ocorreu no Cemitério de Plataforma, às 15.00 horas.

Investigação

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP). A polícia ainda não revelou quem cometeu o crime. Familiares e pessoas próximas já estão sendo ouvidas no intuito de prender o autor do assassinato.

Manifestação

Após o sepultamento, familiares, amigos e vizinhos do jovem de 24 anos realizaram uma manifestação na capital baiana, neste quarta-feira (31/10). O grupo protestou na Av. Suburbana, no bairro de Plataforma. Com camisas e pedindo justiça, aproximadamente 100 pessoas fecharam uma das vias da avenida. “Ele tem que pagar e nós num grito só vamos gritar que queremos justiça”, assim foi puxado o clamor por uma resposta da polícia.

Comoção

O assassinato da teleoperadora Jamile causou comoção nas redes sociais. As postagens sobre a morte da jovem repercutiram rapidamente. No perfil oficial da jovem no Facebook, amigos e familiares deixaram mensagens lamentando o ocorrido e cobraram justiça.

“O que aconteceu com você não ficará impune, a covardia que aconteceu com você não ficará esquecida, e só vamos sossegar quando ver esse canalha preso ou morto, que é o que ele merece. Que Deus conforte a nós familiares”, escreveu um primo de Jamile.

“Não há palavras capazes de descrever com justiça o choque que sofri com este duro golpe. Jamais imaginei que um dia tivesse que me despedir uma última vez de minha querida irmã, mas assim foi. Hoje minha vida está mais triste, mais pobre, mais escura, e para sempre carregarei comigo esta saudade”, disse a Jacqueline Silveira, irmã da teleoperadora.

Nota de Repúdio

O Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações da Bahia – Sinttel emitiu nota de repúdio à violência após a morte de Jamile. Confira a nota na integra.

O Sinttel Bahia vem por meio desta nota, manifestar repúdio à violência e preconceito cometidos contra o teleoperador Walter Fernandes dos Santos e lamentar com pesar o falecimento da  teleoperadora Jamile Silveira de Melo.

Walter Fernandes dos Santos está internado no Hospital Geral do Estado (HGE), após sofrer agressões físicas na Praça da Mãozinha, no bairro do Comércio, no domingo(28). Jamile Silveira de Melo foi encontrada sem vida, em Simões Filho, região Metropolitana de Salvador.

O Sinttel Bahia entende que a  violência contra as mulheres tem aumentado significativamente e o feminicídio atingido níveis alarmantes. Segundo dados da Organização das Nações Unidas – ONU, a taxa de feminicídios no Brasil é a quinta maior do mundo, assim como é alarmante o fato do Brasil ser o país que mais mata pessoas LGBTQI+, segundo levantamento do Grupo Gay da Bahia, que aponta  445 casos de assassinatos de homossexuais em 2017.

O Sindicato repudia energicamente a onda de violência e intolerância que tem se intensificado no país,  reitera o seu compromisso social enquanto entidade com a população  e se empenha no combate a toda e qualquer forma de violência.  Reafirmamos ainda a nossa solidariedade com os familiares e amigos das vítimas.

Me coloco á inteira disposição em apoio à todos os meus irmãos da Igreja Crescendo com Cristo, e ao PR.Amado presidente desta amada igreja , que sem sombra de dúvida está vivendo um dos piores momento do seu ministério, pois perder uma ovelha de forma covarde, é uma tristeza profunda . Que Deus traga refrigério, força a todos. Estamos todos juntos nesse momento, onde todos desejam o mesmo , ( Justiça ) doa em quem doer .

PR. Thiago Silva