Justiça abre processo de investigação para apurar irregularidades na saúde em Simões Filho

.

Autor: Redação

Publicada em


A investigação foi instaurada na última quarta-feira (13/02). Informação foi publicada no Diário Oficial da Justiça nesta sexta (15/02).


Foto: Foto Reprodução

A situação da saúde pública em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), não está nada boa. Falta de medicamentos, dificuldades para marcar consultas e exames, entre outros problemas são diariamente vivenciados pela população local.

Como se não bastasse o reflexo negativo da redução dos investimentos que a prefeitura destinou ao município em 2017, conforme dados publicados pelo Conselho Federal de Medicina em janeiro deste ano, começaram a aparecer também inúmeras denúncias de servidores da saúde com relação ao atraso em seus salários.

Com base nessas informações, a 4ª Promotoria de Justiça do Ministério Público da Bahia (MP-BA) resolveu instaurar, na última quarta-feira (13/02), o processo de investigação sob nº 003.9.205784/2017 na área de Improbidade Administrativa, a fim de verificar possíveis irregularidades na área de saúde, sob a responsabilidade da Prefeitura de Simões Filho.

O processo preparatório do MP tem como objetivo apurar denúncia sobre a ocorrência de atraso no pagamento dos servidores concursados, lotados na Secretaria Municipal de Saúde, que trabalham no Hospital Municipal, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e nos Postos de Saúde, no exercício financeiro de 2017, segundo Ministério Público.

Vale ressaltar que a denuncia foi realizada em 2017, mas a investigação foi instaurada pela promotora Lara Ferrari Fonseca, na última quarta-feira (13/02) e o processo foi publicado no Diário Oficial da Justiça nesta sexta-feira (15/02).

Caso sejam comprovadas as irregularidades, o prefeito Diógenes Tolentino poderá responder penalmente por Improbidade Administrativa.

Diário de Justiça desta sexta-feira (15/02)