Mãe de seu Louro, morador de Simões Filho que morreu após carro destruir banca de frutas, cobra justiça

Seu Loro era morador do bairro Oitizeiro, em Simões Filho

Autor: Redação

Publicada em


Lourival Dias, conhecido como “Louro”

Ainda inconformada com a morte trágica do filho, o vendedor de frutas Lourival Dias, conhecido como “Louro”, de 64 anos, morto por atropelamento na tarde do último dia 11 março, dona Geronima Dias, 92 anos, conta que a família ainda não conseguiu assimilar tudo o que aconteceu. O filho dela era morador do Bairro Oiteiro, em Simões Filho, e estava trabalhando quando foi atingido por um veículo em alta velocidade na BR-324. O ambulante morreu na hora.

O motorista do veículo, modelo corsa, identificado como Gilvani Pereira, passava nas proximidades entrada de Simões Filho, quando perdeu o controle da direção. O automóvel atingiu a banca de frutas de seu Louro, que funcionava às margens da rodovia. O veículo só parou depois de bater contra uma árvore.

Tudo ficou destruído. Foto: Xico Lopes/TV Aratu

Com a força da batida, a vítima foi arremessada a alguns metros de distância e acabou morrendo antes de receber atendimento médico.

“O meu filho colocava o pão todo dia na mesa e nada me faltava. Era Deus no céu e ele na terra. Meu filho era muito bom, hoje chega para Deus e que senhor ame meu filho”, disse a dona de casa Geronima Dias.

Lourival morava com a mãe e deixa quatro filhos. Segundo a família, Louro fazia o percusso Oiteiro – BR-324 diariamente. Ele trabalhava no local há 43 anos. Os familiares e amigos pedem atenção das autoridades na apuração do caso para que seja feita justiça.

“Tinha muitos amigos, todo mundo que vinha da pesca da maré sempre parava na barraca dele, porque ele dava frutas sem cobrar nada. Ajudou muitas pessoas, e matou a fome de muita gente”, afirmou a neta do ambulante.

Lorival foi velado no dia 12 de março. Ele foi sepultado no Cemitério São Miguel de Cotegipe.

VEJA MAIS NOTÍCIAS DE SIMÕES FILHO

Foto: Leitor do Simões Filho Online
O veículo só parou depois de bater contra uma árvore. Foto: Xico Lopes/TV Aratu