Minha Casa Minha Vida 2019 terá novo nome e novas regras

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


Minha Casa Minha Vida 2019 terá novo nome e novas regrasMinha Casa Minha Vida 2019 terá novo nome. Isso porque o governo de Jair Bolsonaro está elaborando um novo programa habitacional para substituir o atual Minha Casa Minha Vida. O projeto está previsto para começar no mês de julho.

Segundo o jornal Valor Econômico, o novo programa deve trazer uma série de modificações em relação ao modelo anterior. O subsídio estará vinculado a doações de terrenos da União em regiões mais centrais das cidades, além de financiamento do incorporador do projeto ao FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Confira quem receberá o novo PIS 2019/2020

O novo programa Minha Casa Minha Vida ainda vai permitir que no mesmo empreendimento haja unidades comerciais e de serviços, ou seja, terá lojas e supermercados nesses locais.

Um dos objetivos das mudanças é evitar que os mais pobres sejam afastados para bairros e cidades distantes de seus locais de trabalho, como costuma acontecer no projeto atual.

O projeto está sendo feito pelos ministérios da Economia e do Desenvolvimento Regional e pela Caixa Econômica Federal. Faixas, metas e valores devem sofrer alterações com o lançamento do novo Programa.

O novo programa deve ser lançado na primeira quinzena de julho, quando a lei do Minha Casa Minha Vida completa dez anos.

Pagamento do Bolsa Família 2019 pode parar em setembro

Diogo Mac Cord, secretário de Desenvolvimento da Infraestrutura do Ministério da Economia, diz que é uma reformulação completa do atual Minha Casa Minha Vida.

Um projeto de lei deverá ser enviado, em regime de urgência, ao Congresso Nacional para dar amparo jurídico ao programa. O novo programa habitacional está previsto para ser apresentado na 2ª semana de julho. A implementação do programa será gradual.

Como conseguir a CNH Digital 2019 de graça sem sair de casa

PROGRAMA ATUAL

O Minha Casa Minha Vida foi criado para atender ao déficit habitacional urbano para famílias com renda até R$ 1.800,00, ou seja, a prioridade são as famílias mais pobres. O seu estado ou município pode indicar famílias para serem beneficiadas.

Veja em qual perfil você se encaixa

Novas regras

Famílias com renda de até R$ 1.800,00:

A FAIXA 1 é para aqueles famílias mais pobres que tem renda de até R$ 1.800,00. Nessa modalidade as prestações mensais variam de R$ 80,00 a R$ 270,00 e beneficiário tem até 120 meses para pagar. Se você atende a esse critério pode se cadastrar na sua cidade, aguardar o próximo sorteio para um empreendimento. Procure a prefeitura de sua cidade e inscreva-se.

Como ficou a correção do FGTS no período de 1999 a 2013?

Famílias com renda de até R$ 2.600,00:

Faixa 1,5: Você pode adquirir um apartamento com taxas de juros de apenas 5% ao ano e até 30 anos para pagar e subsídios de até 47,5 mil reais. Nesse você pode procurar diretamente o Banco do Brasil ou à Caixa Econômica Federal para pedir um financiamento de um imóvel.

Famílias com renda de até R$ 4.000,00:

FAIXA 2: Se sua família tem renda de até R$ 4.000,00, você pode ter subsídios de até R$ 29.000,00. Você também pode procurar o Banco do Brasil ou à Caixa Econômica Federal.

Famílias com renda de até R$ 7.000,00:

FAIXA 3: Para famílias com renda de até R$ 7.000,00​​, o Programa oferece taxas de juros diferenciadas em relação ao mercado para você conquistar uma casa própria. O Banco do Brasil ou à Caixa Econômica Federal também podem ser procurados de forma direta.

Como saber se o patrão está depositando seu FGTS e como sacar

Condições para participar

Além de atender aos limites de renda, você NÃO PODE:

– ser dono ou ter financiamento de imóvel residencial;

– ter recebido benefício de outro programa habitacional do Governo;

– estar cadastrado no Sistema Integrado de Administração de Carteiras Imobiliárias (SIACI) e/ou Cadastro Nacional de Mutuários (CADMUT);

– ter débitos com o Governo Federal.