Ônibus de Simões Filho é barrado e passageiros tiveram de descer

Autor: Redação

Publicada em


Sob vaias, o motorista foi orientado a respeitar a manifestação em benefício da categoria

Na manhã desta quarta-feira (3), um motorista da Expresso Metropolitano foi forçado pelos manifestantes a  encostar o veículo no acostamento da Avenida Paralela, em Salvador durante a caminhada de protesto.

Sob vaias, o motorista foi orientado a respeitar a manifestação em benefício da categoria. A recomendação é que os ônibus que circulam na região metropolitana não prestem o serviço por 24 horas. Os passageiros do coletivo tiveram de descer e esperar um ônibus da rede urbana da capital baiana.

Mesmo com a recomendação para que os ônibus que circulam na região metropolitana não prestem o serviço por 24 horas, os ônibus da Empresa Expressos Metropolitano que circulam entre Simões Filho e Salvador voltaram às atividades por volta das 07:30 após paralisação do serviço nas primeiras horas desta quarta-feira (3), em protesto contra a morte do cobrador Djanilson Miranda dos Reis. Todos os veículos saíram da garagem com a palavra”Luto” escrito na frente do ônibus.

Os trabalhadores percorrem as pistas, com direção a Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), em protesto contra a morte do cobrador Djanilson Miranda dos Reis, assassinado durante tentativa de assalto ao ônibus em que trabalhava, na noite de terça-feira (2), em Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador. Saiba mais sobre a morte do cobrador