“Não confio na polícia da Bahia”, diz mulher gravada em vídeo brigando com PM em UPA

Autor: Redação

Publicada em


Do Aratu Online, parceiro do Simões Filho Online

A mulher gravada brigando com um policial militar na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Marcos, em Salvador, tem medo de expor o rosto. Luciene da Paixão dos Santos, 37 anos, conversou com a reportagem do Aratu Online, parceiro do Simões Filho Online, sobre o caso, registrado na terça-feira (11/9). “Não confio na polícia da Bahia”, resume.

Luciene afirma que o estado do pai, que chegou à unidade com dores fortes por conta de uma úlcera na perna, piorou após a briga com o policial, identificado por ela como Timóteo, um cabo da 50ª Companhia Independente (CIPM/Sete de Abril). “A pressão dele foi de 20/10 para 21/10”.

Ela ainda relata que a abordagem do policial foi agressiva no momento do registro. Isso porque o militar tentou tomar o celular da irmã, que filmava a briga. Após passar pela triagem e o senhor ser classificado como “urgente – prioridade 3”, Luciene recorda que a família aguardou por mais de 40 minutos, quando decidiu reclamar da espera.

Ela pontua que, quando questionou a demora, a recepcionista do local disse que o senhor “não é prioridade em lugar nenhum do SUS [Sistema Único de Saúde]”.

REVEJA O VÍDEO:

Luciene registrou reclamação na ouvidoria do SUS e pretende procurar a Defensoria para prestar queixa do caso. Ela diz que a recepcionista da UPA agiu com descaso. “Estava fazendo pouco, rindo da cara do meu pai”. No momento do conflito, a recepcionista, que estava sem crachá, foi substituída por outra pessoa. “Não me deixaram ver o nome dela, esconderam ela do vídeo”, denuncia.

Por meio de nota, a Polícia Militar afirmou que a corporação irá apurar a conduta dos policiais que atenderam a ocorrência, e que a corporação foi acionada por haver erro na classificação do paciente. A PM pontuou ainda que “a situação foi solucionada logo após avaliação médica”.