Novo programa social vai eliminar o Bolsa Família: entenda como será

Novo programa social vai eliminar o Bolsa Família: entenda como será
Novo programa social vai eliminar o Bolsa Família: entenda como será

Novo programa social vai eliminar o Bolsa Família: entenda como será.

O ministro da Economia já definiu o nome do novo Programa Social que vai substituir o Bolsa Família e será lançado nos próximos meses. O novo programa vai se chamar “Renda Brasil” e deve unificar outros programas sociais, inclusive o Auxilio Emergencial.

“Vamos começar agora uma aterrissagem com uma unificação de vários programas sociais e o lançamento de um Renda Brasil”, contou Guedes informando que o novo programa vai substituir o Bolsa Família. O novo programa deve alcançar mais de 40 milhões de pessoas de baixa renda.

>Bolsa Família: Propostas querem impedir transferência de R$ 84 mi

O governo está finalizando as diretrizes da nova política assistencial do governo, mas já detalhou para deputados como deve ser o novo Bolsa Família que será chamado de Renda Brasil. Veja detalhes do novo programa.

O que é o Renda Brasil?

O Renda Brasil será um novo programa que deve unificar programas sociais como:

  • Bolsa Família
  • Abono Salarial do PIS
  • Auxílio Emergencial
  • seguro-defeso
  • salário família

>Décimo do Bolsa Família de 2020 será sem Auxílio Emergencial: veja datas e valor

Quando o Renda Brasil será lançado?

O governo pretende lançar o Renda Brasil após o término do pagamento do Auxílio Emergencial previsto para acabar em agosto.

Quem terá direito a participar do no Programa?

  • famílias de baixa renda que recebem o Auxílio Emergencial
  • pessoas inscritas no Bolsa Família atualmente
  • quem trabalha na informalidade e ganha menos de 1 salário mínimo
  • A previsão é que cerca de 40 milhões de pessoas tenham direito a receber pelo novo programa Renda Brasil.

>Projeto cria novo Programa Social para todas as idades e prevê BPC de 1.045 pelo INSS

Qual será o valor?

O governo ainda está estudando o valor do pagamento mensal que deve variar de R$ 100 a R$ 500, mas ainda não foi batido o martelo sobre essa questão.

Um dos estudo do governo para a novo Renda Brasil é se esse trabalhador informal tiver alguma outra renda de, por exemplo, R$ 300 ou R$ 400, terá de declarar via celular o valor no sistema criado recentemente para receber o auxílio. Bastará dizer a cifra recebida e o nome da pessoa que fez o pagamento. Os dados são para eventual checagem.

>Saiba como consultar lista de beneficiários do auxílio emergencial

Para cada valor recebido, o trabalhador informal terá 1 extra creditado em sua conta, como num Imposto de Renda Negativo. O percentual ainda está sendo estudado. Por exemplo, se for de 10%, para cada R$ 500 declarados a pessoa receberia mais R$ 50. Mas essa ideia ainda está em estudo.

Quando o trabalhador informal atingir a renda equivalente a 1 salário mínimo ou encontrar algum trabalho com registro em carteira, ele deixará de receber o incentivo. Mas haverá uma “escada” suave, para que o emprego via CLT não seja desestimulado. A ideia é que os encargos sejam bem reduzidos para essa modalidade de trabalho –seria o sistema “verde amarelo”.

Fonte: INFORME BRASIL

Veja mais