ONU escolhe Simões Filho para gravar documentário que será exibido em mais de 60 países

O documentário será gravado em Simões Filho

Autor: Redação

Publicada em


Documentários sobre a situação dos descendentes de escravos africanos

O projeto da Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu Simões Filho, como locação para as filmagens de um dos seus três documentários sobre a situação dos descendentes de escravos africanos. O documentário mostrar a cultura do Território Quilombola Dandá, em Simões Filho, região metropolitana de salvador e será lançado no dia 23 de agosto atigindo mais de 60 países. Serão duas versões, uma de quatro e outra de oito minutos.

  • Simões Filho aparece entre as 10 cidades com mais casos de Dengue

A equipe chegou na última terça-feira (09) em Simões Filho e fica até esta terça-feira (16), para entrevistar famílias remanescentes de quilombos e visitar locais com registros históricos sobre a mão de obra escrava em Salvador e a herança cultural deixada na cidade.

Na última quarta-feira (10), o diretor de Ordenamento da Estrutura Fundiária do Incra, Richard Torsiano, concedeu entrevista para a equipe e explicou sobre o avanço do Programa Brasil Quilombola no país.

“São 1,6 mil comunidades trabalhadas pelo Incra dentre as duas mil certificadas pela Fundação Cultural Palmares”, ressaltou. Torsiano acrescentou que a ação beneficia aproximadamente 32 mil famílias remanescentes de quilombo.

A produtora da divisão de Rádio e TV da ONU, Mary Ferreira, cujo escritório está sediado em Nova York, destacou que os documentários têm o objetivo de divulgar como vivem os descendentes de escravos africanos na atualidade e como eles estão conquistando justiça e reparação social.