Pacientes classificam como péssimo o atendimento no Hospital Municipal de Simões Filho

APMI recebe mensalmente mais de R$ 2 milhões de reais da Prefeitura da cidade

Autor: Redação

Publicada em


O Hospital Municipal de Simões Filho (HMSF), está com péssimo atendimento de acordo com os pacientes que utilizam os serviços. A unidade de saúde, que é administrada pela Associação de Proteção a Maternidade e a Infância (APMI), fica localizada na Avenida Washington Luiz, região central do município. A APMI recebe mensalmente mais de R$ 2 milhões de reais da Prefeitura da cidade.

O hospital, que foi terceirizado a três anos e funciona 24 horas, possui emergência pediátrica; emergência adulto, ortopedia e cirurgia; centro cirúrgico e obstétrico; e duas enfermarias, sendo uma de clínica médica geral e outra da maternidade e cerca de 59 leitos de internação.

Embora o hospital da cidade seja administrado por empresa terceirizada, todos os atendimentos são realizados pelo Sistema Único de Saúde-SUS, que repassa verbas para a unidade. Porém a qualidade do serviço prestado no hospital vem sendo questionada por muitos moradores do município e as queixas são frequentes.

Quem utiliza o serviço tem reclamado dos atendimento médico na emergência, onde segundo relatos de leitores, alem da espera, alguns médicos muitas vezes dão o diagnostico sem se quer solicitar algum exame para comprovar a patologia.

“Tive na emergência na quarta-feira (18/4), minha filha com 5 dias de febre sem se alimentar, forte dores de cabeça, a médica olhou com uma lanterna do celular nem utilizou a paleta para baixar a língua da menina e disse que era sinusite. Sem contar que a menina estava com febre e nem um antitérmico ela não deu a criança ainda com febre, ela passou o remédio e deu alta. O detalhe é que o remédio para eu comprar  era para sinusite, que ela nem tinha certeza se era isso e deu alta”, contou a leitora Elied Reis Dos Santos. ·