Fila da morte: Pedreiro que aguardava vaga em UTI não resiste e morre no Hospital Municipal de Simões Filho

Autor: Redação

Publicada em


O pedreiro Joílson Santana da Silva, de 42 anos, morreu na noite desta sexta-feira (17/8), no Hospital Municipal de Simões Filho (HMSF), à espera de um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O paciente era acometido de um edema pulmonar e estava à espera por uma vaga desde o último domingo (12/8). O edema pulmonar é um acúmulo anormal de líquido nos pulmões que leva à falta de ar.

Joílson deixa esposa e dois filhos.

De acordo com os familiares, Joílson sofreu uma asfixia por vômito enquanto dormia por volta 23 horas do último domingo, e deu entrada na emergência cerca de uma hora depois. Pouco mais de seis dias lutando na “fila da morte”, conhecida como regulação, por uma vaga em uma UTI, o pedreiro morreu às 23 horas desta sexta-feira. O quadro era grave e a família chegou a procurar o Ministério Público. Joílson deixa esposa e dois filhos.

O sepultamento de Joílson está programado para acontecer as 15 horas deste sábado (18/8), no Cemitério São Miguel. O cortejo saíra da casa da família no KM-30.

UTI É PROMESSA DE DINHA

VEJA MAIS NOTÍCIAS DE SIMÕES FILHO

*Matéria original publicada 18 de agosto de 2018, às 13:03