‘Pedro não está mais vivo’: sem esperança de reencontrar o filho, Joana nunca mais foi a mesma

Autor: Redação

Publicada em


(Foto: Simões Filho Online)

Olhar cabisbaixo, alimentado por uma infeliz certeza: “Meu coração diz que meu filho não está mais vivo”. O desabafo, carregado de angústia, foi feito pela dona de casa Joana Darc Luz, 37 anos, na tarde desta quinta-feira (9/8), dentro de sua residencia localizada no bairro KM 25, em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

(Foto: Simões Filho Online)

Seis meses após o desaparecimento do filho dela, o mototaxista Pedro Henrique Luz Nunes, de 21 anos, Joana disse que está sendo muito difícil aprender a viver com a ausência do filho.

“Não tem sido fácil, é muito doloroso, fico muito angustiada”

(Foto: Simões Filho Online)

“Tem horas que acho que eu vou enlouquecer e a vontade que me dá é de sumir também. Deus é que me mantem firme de pé. Alem disso tenho outros dois filhos — um menino e uma menina — a razão para eu continuar vivendo”, declarou Joana.

O sofrimento de Joana surgiu no dia 2 de fevereiro e a consome até hoje. Por conta disso, nunca mais foi a mesma.

“Eu sinto muita falta do carinho de Pedro, ele foi meu primeiro filho, era o meu companheiro, meu amigo. Meu filho era tudo para mim”, expressou, emocionada.

(Foto: Simões Filho Online)

A esperança de que Pedro estaria vivo se esvaiu com o passar dos meses, quando Joana passou a receber informações anonimas de que o filho poderia ter sido enterrado na região do bairro onde mora, contudo, a falta de uma informação que leve ao mototaxista, maltrata e acaba com a esperança da dona de casa.

“Infelizmente a minha esperança se foi”

(Foto: Simões Filho Online)

“Não acho que ele esteja vivo, não sei se é falta de fé, mas eu acho impossível, pois, não acredito que ele está vivo até essa data sem chegar nenhuma notícia para mim. Infelizmente a minha esperança se foi”, disse Joana, ao prantos.

(Foto: Simões Filho Online)

DENÚNCIA ANONIMA

Em abril deste ano, uma denúncia anônima chegou a informar que Pedro Henrique acabou caindo no que as pessoas classificam como uma “laranjada”.

De acordo os relatos de anônimos, quando os assassinos pegaram o amigo do jovem – o Junior, disseram que não queriam Pedro Henrique, e o entregaram para outra facção criminosa. A informação que chegou até os familiares é de que teriam matado o mototaxista e enterrado atrás do condomínio residencial Bela Vista, no Jardim Eldorado, região do KM 25.

Em posse dessa informação, os Brigadistas da Equipe Motta, realizaram uma operação de buscas no local. No entanto, nada foi encontrado.

O DESAPARECIMENTO

Na noite do dia 8 de fevereiro de 2018, o mototaxista Pedro chegou em casa por volta das 18h30, tomou um banho, vestiu uma roupa, passou na casa de seu amigo, Joelson Estanislau dos Santos Junior, 22 anos, e os dois saíram juntos. Junior foi encontrado morto na noite do dia 12 de fevereiro. Já Pedro Henrique, continua desaparecido.