Perigo! Doença transmitida por mosquito pode se alastrar na Bahia, alerta Sesab

Saúde na Bahia

Autor: Varela Notícias

Publicada em


Dados divulgados pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) apontam que os casos de Chikungunya podem crescer ainda mais na Bahia. De acordo com os números divulgados nesta sexta-feira (24), a doença que teve seus primeiros casos diagnosticados  em Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros de Salvador, já chegou a 126 cidades e soma 3.397 notificações em 2015.

Somados aos números de 2014, a doença alcança 5.953 infectados. Além de Feira (com 2.268 notificações), tiveram casos confirmados: Riachão do Jacuípe (1.727 notificações), Baixa Grande, Ribeira do Pombal, Amélia Rodrigues, Valente, Camaçari, Salvador e Simões Filho.

A febre chikungunya é transmitida pelo mesmo mosquito da dengue, o Aedes Aegypti, e causa febre, dor intensa nas articulações, acompanhada ou não de inchaços. Todas as faixas etárias estão sujeitas a contrair a enfermidade, com prevalência maior em adultos de 30 a 59 anos. Idosos e menores de dois anos sofrem mais devido à fragilidade do organismo.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica do Estado, Jesuína Castro, afirma que previsão em relação à propagação da enfermidade é assustadora. Segundo ela, 90% do estado está sujeito a pegar a febre.

“A questão é que a chikungunya é uma doença nova aqui, e nós estamos em uma época de alta reprodução do vetor”, afirma. Jesuína acredita que somente ações conjuntas do estado, prefeituras e população pode conter o avanço da doença.

“Não tem como o estado e as prefeituras assumirem sozinhos. As pessoas precisam combater os focos de mosquitos em casa, no trabalho, na escola, na faculdade, ou seja, em todo lugar”, diz.